A Associação Entre Fatores Psicossociais e Atividade Física em Adolescentes é Moderada Por Fatores Sociodemográficos?

Por: Gerfeson Mendonça, José Farias Júnior e Luanna Cheng.

Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde - v.21 - n.4 - 2016

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar se a associação entre os fatores psicossociais e o nível de atividade física é moderada pelos fatores sociodemográficos em adolescentes. Utilizou-se dados completos de 2.540 adolescentes (57% do sexo feminino, média de idade = 16,4; dp = 1,2 anos), de escolas públicas e privadas de ensino médio no município de João Pessoa (PB). A atividade física foi mensurada por questionário. Os fatores psicossociais mensurados foram: percepção de autoeficácia e o apoio social dos pais e amigos para prática de atividade física. Os resultados da análise por regressão linear múltipla demostraram que o sexo moderou a associação da percepção de autoeficácia (masculino β = 19,9 vs feminino β = 9,6), apoio social dos pais (masculino β = 59,9 vs feminino β = 35,1) e dos amigos (masculino β = 68,3 vs feminino β = 40,1) com o nível de atividade física. A classe econômica moderou a associação do apoio social dos pais (A/B β = 38,2 vs C/D/E β = 54,4) e dos amigos (A/B β = 53,1 vs C/D/E β = 42,3) com o nível de atividade física, e a idade (14-15 anos β = 54,2 vs 16-19 anos β = 43,6) moderou a associação do apoio social dos amigos com o nível de atividade física. Conclui-se que as possíveis influências da percepção de autoeficácia e do apoio social sobre os níveis de prática de atividade variam conforme as características sociodemográficas dos adolescentes

Endereço: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/RBAFS/article/view/7999

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.