A Atividade Física Atenua, ou Mesmo Elimina, a Associação Prejudicial do Tempo Sentado com a Mortalidade? Uma Meta-análise Harmonizada de Dados de Mais de 1 Milhão de Homens e Mulheres

Por: Lancet Sedentary Behaviour Working Group.

The Lancet - v.388 - 2016

Send to Kindle


Resumo

Evidência antes deste estudo

Evidências convincentes de muitos estudos observacionais mostram que a falta de atividade física aumenta os riscos de muitas doenças não transmissíveis, como diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares, acidentes vasculares cerebrais, alguns tipos de câncer e mortalidade prematura. O comportamento sedentário, por outro lado, emergiu como um fator de risco potencial para muitas condições crônicas e mortalidade na última década. Uma meta-análise recente sugeriu que o tempo prolongado de visualização de TV estava associado ao aumento do risco de diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e mortalidade por todas as causas. Duas outras meta-análises examinaram as associações sentado com incidência e mortalidade não transmissíveis. Um deles concluiu que o tempo prolongado sentado estava associado a riscos aumentados de resultados de saúde deletérios, independentemente do nível de atividade física, enquanto o outro concluiu que a atividade física (sem detalhes sobre a quantidade de atividade foi fornecida) parecia atenuar o risco aumentado de todas as causas de mortalidade devido ao prolongado tempo sentado. Nenhuma revisão sistemática prévia comparou diretamente os efeitos conjuntos de diferentes níveis de atividade física e tempo sentado, para investigar as associações de diferentes quantidades de tempo sentado e atividade física em relação à mortalidade por todas as causas. Essas informações são necessárias para o desenvolvimento de diretrizes de saúde pública visando o comportamento sedentário.

Realizamos uma pesquisa sistemática de literatura em seis bases de dados (PubMed, PsycINFO, Embase, Web of Science, Sport Discus e Scopus) desde o início do banco de dados até outubro de 2015, seguindo as diretrizes PRISMA. Identificamos 8.381 artigos, dos quais 16 foram identificados como elegíveis para inclusão. Também identificamos dois estudos em que os dados pertinentes estavam disponíveis, mas não publicados. Em seguida, contatamos o autor / investigador principal desses 18 estudos e perguntamos se eles estavam dispostos a reanalisar seus dados de acordo com um protocolo harmonizado. No total, 16 estudos foram analisados de acordo com um protocolo predefinido e incluídos nesta metanálise harmonizada (os detalhes nos dois estudos excluídos são fornecidos no texto).

Valor agregado deste estudo

Esta é a primeira meta-análise a utilizar uma abordagem harmonizada para comparar diretamente a mortalidade entre pessoas com níveis diferentes atividade física e tempo sentado. Examinar os efeitos conjuntos destes dois comportamentos é importante, porque a maioria das pessoas se envolve em ambos os comportamentos todos os dias, de modo que os efeitos de ambos devem ser considerados nas diretrizes de saúde pública.

Implicações de todas as evidências disponíveis

Esses resultados fornecem mais evidências sobre os benefícios da atividade física, particularmente em sociedades onde um número crescente de pessoas tem que se sentar por longas horas de trabalho ou transporte. Nossas descobertas indicam que o aumento do tempo sentado está associado ao aumento da mortalidade por todas as causas; No entanto, a magnitude do risco aumentado com o aumento do tempo sentado é atenuada em pessoas fisicamente ativas. De fato, aqueles que pertencem ao quartil mais ativo e que são ativos cerca de 60-75 minutos por dia de atividade física de intensidade moderada parecem não ter um risco aumentado de mortalidade, mesmo que se sentem por mais de 8 h por dia. (Trad. Fabio Carvalho)

Documentos de Referência

Pamela Das, Richard Horton
Physical activity—time to take it seriously and regularly
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1254-1255

Lars Bo Andersen, Jorge Mota, Loretta Di Pietro
Update on the global pandemic of physical inactivity
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1255-1256

Wendy J Brown, Gregore I Mielke, Tracy L Kolbe-Alexander
Gender equality in sport for improved public health
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1257-1258

Thitikorn Topothai, Orana Chandrasiri, Nucharapon Liangruenrom, Viroj Tangcharoensathien
Renewing commitments to physical activity targets in Thailand
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1258-1260

Ding Ding, Kenny D Lawson, Tracy L Kolbe-Alexander, Eric A Finkelstein, Peter T Katzmarzyk, Willem van Mechelen, Michael Pratt
The economic burden of physical inactivity: a global analysis of major non-communicable diseases
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1311-1324

James F Sallis, Fiona Bull, Regina Guthold, Gregory W Heath, Shigeru Inoue, Paul Kelly, Adewale L Oyeyemi, Lilian G Perez, Justin Richards, Pedro C Hallal
Progress in physical activity over the Olympic quadrennium
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1325-1336

Rodrigo S Reis, Deborah Salvo, David Ogilvie, Estelle V Lambert, Shifalika Goenka, Ross C Brownson
Scaling up physical activity interventions worldwide: stepping up to larger and smarter approaches to get people moving
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1337-1348

Referred to by
Pamela Das, Richard Horton
Physical activity—time to take it seriously and regularly
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1254-1255

Lars Bo Andersen, Jorge Mota, Loretta Di Pietro
Update on the global pandemic of physical inactivity
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1255-1256

Wendy J Brown, Gregore I Mielke, Tracy L Kolbe-Alexander
Gender equality in sport for improved public health
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1257-1258

Thitikorn Topothai, Orana Chandrasiri, Nucharapon Liangruenrom, Viroj Tangcharoensathien
Renewing commitments to physical activity targets in Thailand
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1258-1260

Richard Lane
Pedro Hallal: putting physical activity at the heart of better health
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1271

Department of Error
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages e6

Ding Ding, Kenny D Lawson, Tracy L Kolbe-Alexander, Eric A Finkelstein, Peter T Katzmarzyk, Willem van Mechelen, Michael Pratt
The economic burden of physical inactivity: a global analysis of major non-communicable diseases
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1311-1324

James F Sallis, Fiona Bull, Regina Guthold, Gregory W Heath, Shigeru Inoue, Paul Kelly, Adewale L Oyeyemi, Lilian G Perez, Justin Richards, Pedro C Hallal
Progress in physical activity over the Olympic quadrennium
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1325-1336

Rodrigo S Reis, Deborah Salvo, David Ogilvie, Estelle V Lambert, Shifalika Goenka, Ross C Brownson
Scaling up physical activity interventions worldwide: stepping up to larger and smarter approaches to get people moving
The Lancet, Volume 388, Issue 10051, 24–30 September 2016, Pages 1337-1348

Endereço: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0140673616303701?via%3Dihub

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.