A Atuação do Docente de Ginástica nos Cursos de Licenciatura em Educação Física

Por: .

2012 17/08/2012

Send to Kindle


Resumo

As discussões sobre a formação profissional em Educação Física foram assíduas em dois momentos, a saber: a década de 80 e após o ano 2000, com a consolidação do Conselho de Educação Física e ampliação de oferta de cursos de graduação e pós-graduação na área, além de significativo aumento na produção do conhecimento. Dentre os tópicos questionados, a atuação do docente universitário passou a ser questionada, especialmente no fato do ensino transmissivo pairar sobre o trabalho daquele no ensino superior. Neste cenário, críticas e apontamentos passaram a ser apresentados no intuito de melhor balizar a atuação do docente universitário em prol de uma formação mais abrangente e contextualizada às necessidades da sociedade. Apoiados na base epistemológica da Teoria da Complexidade, na inter e na transdisciplinaridade como fundamentais para balizar a operacionalização de modalidades didáticas (estratégias metodológicas, avaliação, processo ensino-aprendizagem, dentre outros) do docente do ensino superior, o presente estudo investigou no discurso de 14 docentes que ministram disciplinas de ginástica em cursos de licenciatura em Educação Física do estado de São Paulo, se aqueles princípios estavam presentes e, caso positivo, como se apresentavam na prática educativa. Os dados revelaram indícios da preocupação dos docentes com a formação de seus alunos, entretanto, a atuação ainda está enraizada em modelos tradicionalistas, com interesse na apresentação de dados e de conceitos e, não necessariamente, na reflexão e apreensão dos conhecimentos da área. A estratégia que melhor se enquadrou aos princípios educativos da base epistêmica por nós defendida referiu-se aos seminários (sem clara alusão à discussão durante o mesmo) e as apresentações, em formatos de festivais e de coreografias, pautadas nos preceitos da ginástica geral. Observamos também superficialidade nas discussões da atuação sobre a perspectiva da inter e da transdisciplinaridade, importantes para diminuir a verticalidade e fragmentação do conhecimento, que dificulta o entendimento do fenômeno que se estuda, no caso, da ginástica. Afinal, acreditamos que as aulas de ginástica nas Universidades devem permear a valorização da iniciativa e da autonomia, da imaginação e da invenção, a ação em relação ao discurso e a apropriação do saber em relação à sua transmissão

Endereço: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/39/39133/tde-09112012-103907/pt-br.php

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.