A Auto-eco-organização e a Experiência do Professor: Interpretações Preliminares a Partir do Paradigma da Complexidade

Por: Andresa Soares, Francisco Emilio de Medeiros, Giorgia Enae Martins Knabben, Tatiana Badaró e Victor Julierme Santos da Conceição.

XXI Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e VIII CONICE - CONBRACE

Send to Kindle


Resumo

INTRODUÇÃO Este trabalho evidencia a experiência do professor, que em sua complexidade, constrói sua identidade docente por meio das interações com a cultura escolar. Nossa lente epistemológica se fundamenta no pensamento complexo de Edgar Morin. Para Morin (2005), o indivíduo que vive e constitui-se sujeito de si em seu processo identitário, reconhece a experiência vivida como auto-eco-organização (auto-sujeito; eco-meio). As marcas da cultura na experiência ocorrem em um movimento recursivo e dialógico de abertura organizacional, de autonomia-dependência com/no emaranhado2 cultural e, que configuram temática científica emergente.

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.