A Autoscopia Como Método de Autoanálise e Feedback Para Bailarinos Clássicos Durante Técnicas de Pas de Deux

Por: Fidel Machado de Castro Silva, Kaio César Celli Mota e Odilon José Roble.

Conexões - v.15 - n.2 - 2017

Send to Kindle


Resumo

As principais correções no processo de movimentação técnica na dança partem, predominantemente, de uma figura externa conhecida como coreógrafo ou ensaiador. Propõe-se, com este estudo, o uso da autoscopia como método de autoanálise e auto-feedback em que o próprio bailarino realiza ao assistir a sua performance. Tal estudo constituiu-se a partir de filmagens de uma coreografia de pas de deux (dueto no balé clássico), com duas bailarinas diferentes e um mesmo bailarino, sendo que este possuia microcâmeras fixadas em seu corpo. Após o término da dança, cada bailarina foi convidada a verbalizar, individualmente, uma autoanálise. Posteriormente a esse momento, as bailarinas assistiram sua performance à partir das imagens capturadas pelas microcâmeras, análogas à visão do bailarino, sendo solicitado a cada bailarina que fizesse, novamente, uma autoanálise de sua performance. Foram comparadas as autoanálises realizadas sem e com o recurso da autoscopia. O objetivo foi interpretar se a autoscopia apresenta-se como um suporte eficiente no aprimoramento do processo de movimentação técnica na dança. Desse modo, após a intervenção realizada, observou-se que a utlização do método contribui para uma ampliação da percepção do movimento das bailarinas, devido ao recurso da videogravação que possibilita o desenvolvimento das capacidades de autoanálise e auto-feedback.

Endereço: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8647574

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.