A Beleza Feminina Como Poder: Desvendando Outros Sentidos Para a Construção Estética de Si

Por: Clara Maria Silvestre Monteiro de Freitas, Fábio Luís Santos Teixeira e Iraquitan de Oliveira Caminha.

Revista Brasileira de Ciências do Esporte - v.36 - n.2 - 2014

Send to Kindle


Resumo

Procuramos desvelar os sentidos bioascéticos na construção da beleza corporal feminina e as compreensões de poder inerentes a eles. A pesquisa foi realizada em seis academias de ginástica da cidade do Recife com 30 mulheres praticantes de exercício físico. As entrevistas foram realizadas individualmente através de um roteiro composto por imagens. A técnica de análise de discurso seguiu a linha arqueológica foucaultiana. Identificamos três principais sentidos bioascéticos: beleza como segurança ontológica, como distinção social e como forma de anabolizar a vida. Para as entrevistadas a produção da beleza representa dominação nas relações sociais e construção de sentido de vida autônoma. Conclui-se que “anabolizar a vida” representa uma configuração existencial peculiar da cultura somática.

Endereço: http://revista.cbce.org.br/index.php/RBCE/article/view/1545

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.