A Caminhada Olímpica

Por: .
Send to Kindle


Resumo

          Nesses momentos de justificada euforia,  quando nos regozijamos ao alcançarmos a primeira etapa da Caminhada Olímpica,  pela escolha de nossa Maravilhosa e muy Leal e Heróica  Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, eis que vemos intensas preocupações – adequadas – com a preparação e construção de instalações, utilização de equipamentos, planejamentos para melhoria da segurança e dos transportes públicos apropriados para 2016, mas não  temos visto sequer a menção a planejamentos visando a Seleção, Preparação e Apoios, Estruturais, Médico e Técnico, aos Atletas que irão competir em 2016 e que necessitam ser descobertos – como talentos potenciais - e/ou preparados, se já em atividade.

       Lembramos que além do Pan-Americano de 2007 no Rio, realizamos o Pan Americano de 1963 em São Paulo – já esquecido - e podemos alistar inúmeros trabalhos antecedentes que podemos considerar os antecedentes dessa etapa atual:

1 - O Artigo “O Caminho Olímpico”, que preconizava a necessidade de realização dos Jogos Olímpicos entre nós, para melhoria dos Desportos e emulação da Sociedade, publicado em 1968 no Boletim da Divisão de Educação Física do Ministério da Educação, de nossa Autoria;

2 – O “Diagnóstico de Educação Física”, de 1970, publicado pelo Ministério da Educação, que avaliou e registrou o número inacreditável de instalações construídas e mal ou até mesmo não utilizadas, do Prof. Lamartine Pereira da Costa, publicado pela Divisão de |Educação Física do Ministério de Educação;

3 – O Seminário “O Caminho Olímpico” realizado em 1972, sob a égide ACM – Associação Cristã de Moços - , com a participação ativa do COB e da então CBD;

4 – O PROLIMP – Projeto de Preparação de Atletas para Olimpíadas, realizado em Brasília, DF, na década de 80, que descobriu, revelou e preparou inúmeros atletas de nível internacional.

           Destaque-se, além dos trabalhos acima, a atuação internacional do Médico Eduardo de Rose, que foi Secretário-Geral e após, Presidente da Federacion Internationale de Medecin Sportiv - FIMS – e as participaçõesdestacadas das Equipes Militares que venceram diversos Campeonatos Mundiais do Pentatlo Militar, pela CDFA, lideradas pelo Prof. Lamartine Pereira da Costa.

           Perante esse acervo, aqui resumido, eis que alistamos alguns itens para chamar a atenção dos atuais responsáveis pela segunda etapa da Caminhada :

A - A SELEÇÃO E FORMAÇÃO DE ATLETAS PARA COMPETIÇÃO EM 2016, que obedece a três  critérios básicos:

a) ESCOLHA DE ATLETAS POR PROCESSOS TÉCNICOS E CIENTÍFICOS QUE TENHAM REAL POTENCIAL PARA COMPETIÇÃO A MÉDIO E CURTO PRAZO;

b) FORMAÇÃO DE ATLETAS, A MÉDIO E LONGO PRAZO, QUE POSSAM AUMENTAR O NÍVEL GERAL DE ATIVIDADES DESPORTIVAS;

c) A UTILIZAÇÃO DOS ATLETAS BRASILEIROS QUE SE DESTACARAM EM CAMPEONATOS MUNDIAIS E OLIMPIADAS, PARA INDUZIREM MOTIVAÇÃO SOCIAL,TAIS COMO PROFª AÍDA DOS SANTOS,PROF. NELSON PRUDÊNCIO, JOAQUIM CRUZ, MAUREEN MAGGI, ALÉM DE INÚMEROS OUTROS.

Os critérios básicos deverão ser distribuídos em etapas:

1 - Ênfase em Seleção de Atletas para:

a ) Preparação de Atletas de Nível Competitivo Internacional, a curto e médio prazos;

b ) Formação a médio longo prazos (V. Cuba e países do antigo Bloco Socialista URSS);

c ) Educação Desportiva Social para melhoria Cultural

2 – Reorganização dos Laboratórios de Pesquisa em Medicina Desportiva e Educação Física, para atender a diretriz contida na  magistral frase do Cel. Prof. Otávio Costa, no II Congresso de Medicina Desportiva em 1973, no Rio de Janeiro : “O Atleta se prepara no Laboratório !”;

3 -  Ênfase em Medidas Sociais Paralelas e Correlatas.

a) Profilaxia de Doenças, através da Prática de Atividades Físicas para e na Sociedade, visando diminuição do Complexo Social SedentarismOBesidade, pois a Obesidade – declarada Epidemia Mundial em 1977 pela OMS, tendo como principal causa o SEDENTARISMO – acarreta a médio longo prazo doenças degenerativas causadas e/ou agravadas pela hipoatividade física e mental,  tais como Discinesias, Hipocinesias, Diabetes e Hipertensão Arterial e Déficits cognitivos.

b ) Criação e atenção à  Formação de Ídolos, para estimular a Sociedade, principalmente a Juventude, visando afastá-la dos caminhos dos desvios sociais viciosos ( drogas, tabagismo, alcoolismo )

©Copyright Luiz dos Santos - Médico do Desporto, Fisiatra, Prof. Ed. Física - Rio, 22 de outubro de 2009.

Luiz dos Santos

Rio de Janeiro, 1º de Dezembro de 2011©Copyright2011.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.