A Constituição da Ginástica Rítmica em Salvador Como Prática Educativa e Esportiva (1970)

Por: Maria Elisa Gomes Lemos.

XV Congresso de História do Esporte, Lazer e Educação Física - CHELEF

Send to Kindle


Resumo

O processo histórico de constituição da Ginástica Rítmica (GR), como prática educativa e esportiva, em Salvador/BA, apresenta a introdução e o desenvolvimento da modalidade atrelado à instalação da Educação Física como curso superior na Bahia. Dito isso, o presente estudo teve como objetivo tecer um panorama explicativo sobre a experiência histórica da Ginástica Rítmica na década de 1970 na capital baiana e, por dentro disso, interpretar os aspectos específicos da modalidade, para melhor entender as expressões assumidas na sociedade, com o passar dos anos. A justificativa deste estudo toma por base o próprio valor do esporte, como dimensão social e mais, por acreditarmos numa dupla expressão da prática, a esportiva e a educativa. Compreender a prática da Ginástica Rítmica pressupõe também melhor entender seu cenário de existência. Afirmamos isto por compreendermos que as práticas esportivas não se dão de forma estanque, isoladas do contexto social e do cenário geográfico onde ocorrem. Uma melhor interpretação do fenômeno esportivo significa também entender as formas e condições de sua ocorrência, ou seja, espaços, personagens, fatos e mesmo condições de execução, em função do tempo histórico, em seus limites e possibilidades. Assim, cremos que uma análise histórica da GR passa também por desenvolvermos um olhar sobre nossa cidade de interesse, Salvador, e todos os elementos que possam ter interferido na modalidade. Para o desenvolvimento metodológico optamos pela Nova História Cultural. Utilizamos como fontes documentos, periódicos com circulação em Salvador na época e entrevistas com os personagens que fizeram parte desta história, dentro do recorte temporal dos anos de 1970. Como resultados identificamos que a GR se desenvolveu na cidade tendo as escolas como espaço central, além das chamadas “escolinhas” que também foram fundamentais nesse processo. Outro dado encontrado foi o fato de que a modalidade ganhou volume a partir da formação de novos profissionais em Educação Física em nível superior, sempre contando com personagens que atuaram diretamente com este esporte na cidade. Entendemos assim que a GR é uma prática que atrai olhares e praticantes pela sua plasticidade, e, atualmente, tem assento efetivo em escolas da rede pública municipal, estadual e particular de ensino em todos os níveis, além de contar com espaços privados e públicos para treinamento de alto rendimento em todas as faixas etárias, com maior procura pela população feminina e em menor número pelo público masculino, sem restrições.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.