A Constituição da Identidade do Professor de Educação Física: Apontamentos de Uma Revisão Bibliográfica

Por: Larissa Cerignoni Benites e William Douglas Bonetti Dutra.

Lecturas en Educación Física y Deportes - v.23 - n.247 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Trata-se de uma pesquisa qualitativa, do tipo descritiva, que se apoiou na revisão bibliográfica para investigar os aspectos da identidade dos professores de Educação Física. Para tal realizou-se uma busca junto à plataforma Portal Sucupira Capes, triênio de 2013-2016 para a área da Educação Física, e escolheu investigar os periódicos que faziam jus as qualificações A1, A2, B1 e B2 utilizando os seguintes termos: formação de professores, identidade, docência e educação física. A busca retornou com o montante de 74 artigos e após a leitura dos seus resumos a grande maioria foi excluído ficando com apenas 5 artigos, que compuseram ocorpus dessa pesquisa. Esses estudos evidenciaram que a identidade profissional se molda de acordo as vivências, crenças, experiências e desafios dos docentes, colocando o professor como elemento central do estudo juntamente com seus desafios, no que diz respeito ao espaço de trabalho, materiais e formação inicial. Como conclusão, pode-se perceber que os estudos que referenciam a identidade a apontam como algo crucial para a profissionalização do professor de Educação Física, mesmo a sua produção sendo escassa.

Referências

   Barros, I.M.C. (2011). Contributo para a compreensão do processo de (re)costrução da identidade profissional no contexto da formação inicial: estudo em estudantes estagiários de Educação Física. Tese de Doutorado, Universidade do Porto, Curso de Educação Física.

 

    Benites, L.C. (2007). Identidade do professor de educação física: um estudo sobre os saberes docentes e a prática pedagógica. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Rio Claro – SP.

 

    Bracht, V. (2003). A constituição das teorias pedagógicas da Educação Física.Caderno CEDES, XIX (48) 69-89.

 

    Canestraro, J.F.; Zulai, L.C.; Kogut, M.C. (2008). Principais dificuldades que o professor de educação física enfrenta no processo ensino-aprendizagem do ensino fundamental e sua influência no trabalho escolar. Recuperado em 02 de fevereiro de 2018 em: https://www.researchgate.net/publication/263579983

 

    Canciglieri, F.G.S. (2016). As influências do estágio curricular supervisionado na prática profissional do professor principiante de Educação Física. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Rio Claro – SP.

 

    Contreras, J. (2002). A autonomia de professores. São Paulo: Cortez.

 

    Dubar, C. (1997). A socialização: construção das identidades sociais e profissionais. Porto: Porto Editora.

 

    Gatti, B.A.; Barreto, E.S.S. (2009). Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: Unesco.

 

    Gomes, P.M.S.; Ferreira, C.P.P., Pereira, A.L.; Batista, P.M.F. (2013). A identidade profissional do professor: um estudo de revisão sistemática. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 27(2) 247-267.

 

    Ibiapina, I.M.L.M. (2004). Docência universitária: um romance construído na reflexão dialógica. Tese Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

 

    Lopes, F.M. (2007). A construção dos saberes docentes e a relação de identificação no estágio supervisionado de biologia. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Londrina, Londrina.

 

    Mancini, M. C.; Sampaio, R. F. (2006). Quando o objeto de estudo é a literatura: estudos de revisão. Revista Brasileira de Fisioterapia, 10 (4) 361-472.

 

    Marcelo, C. (2009). A identidade docente: constantes e desafios. Formação Docente, 1(1) 109-131.

 

    Marques, M.N.; Krug, R.R.; Krug, H.N.; Conceição, V.J.S. (2015). Os desafios do cotidiano educacional: o caso da educação física. Roteiro, 40(1)169-205.

 

    Moreira, J.A.M.; Ferreira, A.G. (2012).A Auto-imagem Profissional dos Professores de Educação Física em Portugal. Educação e Realidade, 37(3) 737-759.

 

    Paquay, L.; Wagner, M.C. (2001). Competências profissionais privilegiadas nos estágios e na videoformação. In: L. Pasquay, P, Perrenoud, M. Altet, & E. Chalier (Orgs.). Formando professores profissionais: Quais estratégias? Quais competências?Porto Alegre: Artmed. p. 135-157.

 

    Pérez-Gómez, A. (1992). O pensamento prático do professor. A formação do professor como profissional reflexivo. In: A. Nóvoa, Os professores e a sua formação.Lisboa: Don Quixote, p. 93-114.

 

    Pires, V.; Nascimento, J.V.; Farias, O.G.; Suzuki, C.M. (2017). Identidade docente e educação física: um estudo de revisão sistemática. Revista Portuguesa de Educação,30(1) 35-60.

 

    Rodrigues, R.M.; Figueiredo, Z.C. (2011). Construção identitária da professora de Educação Física em uma instituição de educação infantil. Movimento,17(4) 65-81.

 

    Sampaio, M.M.F.; Marin, A.J. (2004). Precarização do trabalho docente e seus efeitos sobre as práticas escolares. Educação e Sociedade, 25(89) 1203-1225.

 

    Santini, J.; Molina Neto, V. (2005). A síndrome do esgotamento profissional em professores de educação física: um estudo na rede municipal de ensino de Porto Alegre.Revista Brasileira de Educação Física,19(3) 209-222.

 

    Santos, N.S.; Mendes, J.S.; Ladislau, C.R. (2014). Educação física escolar:dificuldades e estratégias. Recuperado em 02 de fevereiro de 2018 em:http://congressos.cbce.org.br/index.php/5sudeste/lavras/paper/viewFile/6383/3226.

 

    Silva, M.F.P.; Damazio, M.S. (2008). O ensino da Educação Física e o espaço físico em questão. Pensar a Prática, 2(11) 189-196.

 

    Silveira, D.T.; Córdova, F.P. (2009). A pesquisa científica. In: T.E. Gerhart, D.T. Silveira (Org.). Métodos de Pesquisa. Porto Alegre: UFGRS, p. 33-44.

 

    Shulman, L.S. (1987). Knowledge and teaching: foundations of the new reform. Harvard: Education Rewiew, 57, p.1-22.

 

    Somariva, J.F.G.; Vasconcelos, D.I.C.; Jesus, T.V. (2013). As dificuldades enfrentadas pelos professores de Educação Física das escolas públicas do Município de Braço do Norte. Recuperado em 02 de fevereiro de 2018 em: http://linguagem.unisul.br/paginas/ensino/pos/linguagem/eventos/simfop/artigos_v%20sfp/Jo%C3%A3o_Somariva.pdf

 

    Souza Neto, S.; Benites, L.C.; Silva, M.F.G. (2010). Da escola de ofício a profissão educação física: a constituição do habitus profissional de professor. Motriz,16(4) 1033-1044.

 

    Tardif, M. (2002). Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes.

 

    Triviños, A.N.S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais. A pesquisa qualitativa em Educação. O positivismo, a fenomenologia e o marxismo. São Paulo: Atlas.

 

    Veiga, I.P.A. (2011). Docência: formação, identidade profissional e inovações didáticas. Educação, 36(3), 455-464.

Endereço: https://www.efdeportes.com/index.php/EFDeportes/article/view/535/505

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.