A Construção Sociocultural do Corpo Masculino nos Discursos de Graduados em Educação Física

Por: .

105 páginas. 2002 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Ao trabalharmos a "construção sociocultural do corpo masculino, estamos tentando caracterizar como as pessoas representam o que é atribuido ao ser homem, em um determinado momento histórico e em uma determinada dimensão sociocultural.Sendo assim, este estado está situado no âmbito das ciências sociais, tentando refletir o Ser masaculino em sua essência. Há fortes indícios de que esse tema ainda é pouco explorado pelos alunos e professores de educação física, o que nos leva a pressupor sua importância para a preparação no universo acadêmico. Não se trata entretanto de revolver o problema do corpo, do gênero ou da educação física, trata-se da construção de um referencial teórico pouco abordado nessa área do saber. Levando isso em consideração mosso estudo pode permitir uma visão anropológica na tentativa de agregar conceitos folosóficos e científicos como tópicos da cultura do corpo masculino, os quais a educação física carece investigar. Procuramos o máximo de elementos teóricos que fundamentasse uma postura ideológica, política, social e cultural do mundo, que tem forjado os professores que somos. Sendo assim, este estudo se propõe a analisar a refletir a percepção de alunos de graduação em educação física sobre a construção sociocultural do corpo masculino nas aulas de educação física. Com o propósito de colher informações que  permitissem fornecer indícios da forma como a educação física tem contribuido para a construção, sociocultural do corpo masculino empreendemos um estudo inserido no paradigma fenomenológico-hermeneutico com as características de homem existencial, utilizando a estratégia de análise de discurso, envolvendo 27 alunos de ambos os sexos do curso de graduação da Faculdade de Educação Física da Universidade Rural do Rio de Janeiro, da Universidade Salgado de Oliveira, da Universidade Federal do Rio de Janeiro e da Universidade Estácio de Sá. O instrumento empregado constou da exibição de uma foto, na qual bailarinos do sexo masculino posavam com tutu (vestimenta tradicionalmente e comumente utilizada pelo sexo feminino). Após esta etapa, foi feita uma entrevista, a partir da percepção que os atores sociais apresentavam na foto compreendendo cinco questões rrelativas ao propósito do estudo. Incursionando nas respostas dos entrevistados, inferimos que a sociedade estabelece normas e padrões de comportamento e de atitudes própris para cada sexo. Desta forma, os valores estabelecidos e mantido pelos agentes socializadores, reforçam a diferrenças entre os sexos. Isto enseja o fortalecimento e a assimilação de papéis culturalmente sexuados e dificulta a compreensão do possível rompimento da submissão de um sexo pelo outro. Após os expostos, podemos constatar que existe diferença nos aspectos biofísicos e socioculturais entre os sexos advinda de fatores orgânicos, mas pode-seafirmar, também, que essa diferença poderia ser menor sse fosse diminuid a influência depreconceitos e esteriótipos entre o sexo feminino e o sexo masculino.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.