A Criação da Escola Nacional de Educação Física e Desportos da Universidade do Brasil e Sua Inserção na Política do Estado Novo.

Por: José Luiz Marques Pintor.

362 páginas. 1995 29/03/1995

Send to Kindle


Resumo

O propósito da presente pesquisa foi o de investigar, objetivamente, a criação da Escola Nacional de Educação Física e Desportos (E.N.E.F.D.) da Universidade do Brasil (U.B.), sua organização e funcionamento no ano de 1939. Subsidiariamente, pesquisaram-se fatos históricos ocorridos entre os anos de 1930 a 1945, com a intenção de contextualizar a criação da E.N.E.F.D. nos aspectos social, econômico e político. O interesse de estudar esse momento histórico prende-se à intenção de se responder às seguintes questões: 1a) Como eram formados os professores de Educação Física antes da criação da E.N.E.F.D.?; 2a) Que fatores históricos influenciaram a criação da E.N.E.F.D.? 3a) Quais os objetivos e a fundamentação legal da criação da E.N.E.F.D.?; 4a) Qual a composição do corpo docente e como se desenvolveu o processo ensino-aprendizagem no primeiro período de funcionamento da E.N.E.F.D? ,Com base nos resultados da pesquisa efetivada, conclui-se que: ,1- Não havia, até 1939, uma estrutura formalmente organizada a nível federal para formar professores de Educação Física e Desportos. Como autodidatas, as pessoas envolviam-se no ensino da E.F.D. por tradição cultural (estrangeiros), aptidão física ou interesse pessoal. O Centro Militar de Educação Física (C.M.E.F.), criado em 1930, foi o primeiro passo no sentido de oferecer informações metodizadas sobre a E.F.D. Além dos militares, professores federais, estaduais ou municipais e civis que tivessem interesse por esta área poderiam candidatar-se aos cursos do C.M.E.F. Com o surgimento, em 1933, da Escola de Educação Física do Exército (Es. E. F. Ex.), a área da E.F.D. ganhou uma Escola para formar alguns profissionais. Assim como o C.M.E.F., a Es. E.F. Ex. manteve-se aberta para receber candidatos civis. De uma maneira precária, os professores de E.F.D. começaram a ser formados. 2- Os fatores históricos mais relevantes que influenciaram a criação da E.N.E.F.D. foram: ,1o) O contexto social, econômico e político que redundou no Estado Novo, como expressão de um Estado autoritário, induziu a elaboração da Constituição de 1937, que tornava obrigatório o ensino da E.F. nas escolas primárias, normais e secundárias. 2o) Os ideólogos, que respaldavam o Estado Novo, acreditavam que o sistema educacional deveria ser transformado num perfeito aparelho ideológico do Estado autoritário. Tais intelectuais alinhavam-se com as idéias liberais elitistas que sobrepujaram-se às idéias liberais igualitaristas, na realização do projeto universitário. 3o) As forças armadas que davam sustentação ao Governo, em especial o Exército, acreditavam ser a E.F.D. uma excelente estratégia para efetivar-se o controle social. Seria possível incutir nas massas os conceitos fundamentais de disciplina, hierarquia, solidariedade, cooperação, coragem, obediência, respeito à ordem e às instituições e aperfeiçoamento físico para o cumprimento cívico de suas obrigações para com a Pátria. Viabilizando, também, a formação de contingente de recrutas para a possível participação do Brasil na Guerra que se delineava. 4o) A evolução histórica da Educação Física no cenário nacional, que, já em 1882, recebia atenção de intelectuais ilustres como Rui Barbosa e, que, na década de 30, ganha força com a divulgação dos ensinamentos da Missão Militar Francesa, o VII Congresso Nacional de Educação Física e Desportos organizado pela A. B.E. e todas as determinações legais que respaldaram a E.F.D. 3- Os objetivos formais da criação da E.N.E.F.D. encontram-se na exposição de motivos do Ministro Capanema e no que dispõe o artigo 1o do D.L. 1212, de 17 de abril de 1939, que reunidos objetivavam: 1o) atender o que determinava o artigo 131 da Constituição da República de 1937; 2o) Criar um centro de preparação e pesquisa de todas as manifestações da E.F.D., servindo como padrão para as demais escolas do País; 3o) formar pessoal técnico em E.F.D.; 4o) imprimir ao ensino da E.F.D., em todo o País, unidade teórica e prática; 5o) difundir, de modo geral, conhecimentos relativos à E.F.D. Porém, como resultado dos estudos encontrados, conclui-se que, subliminarmente, também objetivava formar profissionais graduados em E.F.D. disseminadores da ideologia vigente. A fundamentação legal apoiava-se no Decreto-lei n. 1212, de 17 de abril de 1939. (anexo 01). 4- Na composição do corpo docente, constata-se a influência preponderante dos profissionais oriundos das áreas médica e militar, em detrimento dos profissionais oriundos das áreas da Educação e da Educação Física. O professor de E.F.D., rotulado como professor da "prática" ou do "exercício", era marginalizado pelo artigo 15 do D.L. 1212; não tendo, nem mesmo, assento na Congregação da Escola. O período letivo de 1939 foi cercado de muitos problemas, o que deveria ser o primeiro ano da Escola ficou espremido entre 1o de agosto de 1939 e 31 de janeiro de 1940. Por falta de um prédio específico para funcionamento da E.N.E.F.D., a mesma ficou alojada, precariamente, no Instituto Nacional de Surdos-Mudos (I.N.S.M.), utilizando, também, as instalações do Fluminense Futebol Clube e do Clube de Regatas Botafogo. Esses dois problemas mais cruciais refletiram-se negativamente no processo ensino-aprendizagem.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=996&listaDetalhes%5B%5D=996&processar=Processar

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.