A Dança de Matriz Africana Como Conteúdo da Educação Física Escolar

Por: ângela Celeste Barreto de Azevedo e Vania Moura.

XXI Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e VIII CONICE - CONBRACE

Send to Kindle


Resumo

INTRODUÇÃO 

A formação em Educação Física (EF) no Brasil é demarcada historicamente por uma perspectiva técnico-biológica-esportivista, conforme publicação de Azevedo (2013). Tal dado contribui para promover o esporte como um dos conteúdos mais contemplados em aulas de EF escolar dentre os conteúdos da cultura corporal do movimento apresentados pelo Coletivo de Autores (2009). Desse modo, ao ministrar aulas de EF no inicio de período letivo em uma escola pública da rede estadual do Rio de Janeiro, constatou-se em avaliação diagnóstica que, de fato, o esporte era o conteúdo priorizado e a dança era inserida, mas atrelada a datas comemorativas. Assim, foi proposto o conteúdo dança em torno da temática da cultura de Matriz Africana (MA) com o objetivo de promover um ensino em dança para além da intervenção pedagógica em datas comemorativas e em acordo com a Lei 10.639/2003, que busca dar voz à temática de valorização da cultura afro-brasileira através de conteúdos de ensino, abrangendo diferentes componentes curriculares (BRASIL, 2013). O histórico da escravidão afeta a inserção social de descendentes de africanos em nosso país e a cultura europeia, ainda predominante, subalterniza e os distanciam de suas lutas de resistência. A escola pode contribuir com uma educação voltada para a diversidade de cunho humanista e antirracista. 

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.