A Eficiência do Treinamento Resistido no Desenvolvimento da Força Manual de Um Indivíduo com Doença de Parkinson

Por: Adrian Victor Lima Tenório, Ana Carolina Dias Semblano, Hendrick Allan Gomes dos Reis, Kaian Corrêa Duarte, Paulo Tiago de Sousa da Silva e Saither Lucas Costa Dias.

XXI Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e VIII CONICE - CONBRACE

Send to Kindle


Resumo

INTRODUÇÃO

As dificuldades em realizar as atividades do cotidiano podem afetar emocionalmente indivíduos com Doença de Parkinson (DP), influenciando de forma negativa a percepção da sua qualidade de vida (CAMARGOS et al., 2004; CHRISTOFOLETTI et al., 2009). Estes indivíduos podem ainda deixar de realizar atividades que lhes forneçam bem-estar, o que resulta em isolamento social (CAMARGOS et al., 2004). Logo, a prática de atividades físicas é um importante meio para se alcançar esse objetivo, devendo ser estimulada ao longo da vida, promovendo a melhora de diversas capacidades físicas, dentre elas a força (MACIEL, 2010). Sendo assim, se uma pessoa sem debilidades necessita de uma boa condição de força, percebe-se a importância desse aspecto para um indivíduo com Doença de Parkinson (DP), visto que essa capacidade é gradativamente reduzida em decorrência da evolução da doença. Nesse cenário, segundo Santarém (2012), a musculação é o exercício mais eficiente e seguro para pessoas idosas e debilitadas. Este estudo teve como objetivo geral avaliar, através do treinamento resistido, a evolução da força muscular manual de uma pessoa com DP.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.