A Escrita Feminina e as Narrativas da Copa de 2010 Através das Crônicas Tiro Livre

Por: Bárbara Gonçalves Mendes e Leonardo Turchi Pacheco.

FuLia - v.2 - n.3 - 2017

Send to Kindle


Resumo

O texto teve como objetivo debater as divergências e convergências no que tange à possibilidade de uma escrita feminina, para além da lógica binária de gênero. Para tanto, procuramos pensar a diversidade que o termo "mulheres" implica, tendo em vista como as normas de gênero vigentes na sociedade, por meio de dinâmicas de poder, constroem o que é esperado das pessoas às quais esse gênero é atribuído, alijando-as do mundo da escrita e do mundo futebolístico. Para pensar tais temáticas e as concessões dadas às "mulheres" para a participação no mundo público, nesse caso expresso pelo jornalismo esportivo, foi feita a análise das crônicas "Tiro Livre" sobre a Copa do Mundo da África do Sul. A escolha dos textos se deu pelo fato de que eles guardam especificidades: desde 2009, são publicados em um jornal de grande circulação no estado de Minas Gerais, bem como são escritos por uma "mulher".

Referências

 

ARRIGUCCI JR, Davi. Fragmentos sobre a crônica. In: ______. Enigma e comentário: ensaios sobre literatura e experiência. São Paulo: Companhia das Letras, 1987, p. 51-66.

AZEREDO, Sandra. Preconceito contra a “mulher”: diferença, poemas e corpos. São Paulo: Cortez, 2011.

BOURDIEU, Pierre. Sobre a Televisão. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1997.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas linguísticas. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do sexo. In: LOURO, Guacira Lopes (org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

BUTLER, Judith. Deshacer el género. Barcelona: Paidos, 2006.

CÂNDIDO, Antônio. A vida ao rés do chão. In: ANDRADE, Carlos Drummond de et al. Para gostar de ler. São Paulo: Ática, 2003, p. 89-99. Disponível em: https://goo.gl/yAx52J. Acesso em: 21 fev. 2018.

CAPRARO, André Mendes. Mário Filho e a “invenção” do jornalismo esportivo profissional. Movimento. Porto Alegre, v.17, n.02, p. 213-224, abr.-jun. 2011.

CARDOSO, Izabela. Personagem de uma história: Kellen Cristina – Estado de Minas. Associação Mineira de Cronistas Esportivos. Disponível em: https://goo.gl/iKXZZz. Acesso em: 26 fev. 2018.

CHABAUD-RYCHTER, Danielle; DESCOUTURES, Virginie; DEVEREUX, Anne-Marie; VARIKAS, Eleni. Introdução: questões de gênero nas Ciências Sociais “normásculas”. In: ______ (org.). O gênero nas Ciências Sociais: releituras críticas de Max Weber a Bruno Latour. São Paulo: Editora Unesp; Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2014. p. 3-24.

CLASTRES, Pierre. Da tortura nas sociedades primitivas. In: ______. A sociedade contra o Estado: pesquisa de antropologia política. São Paulo: Cosac & Naify, 2003, p. 193-204.

COLANSANTI, Marina. Por que nos perguntam se existimos. In: RODRIGUES, Carla; BORGES, Laura; RAMOS Tânia Regina de Oliveira (org.). Problemas de gênero. Rio de Janeiro: Funarte, 2016, p. 323-331.

COSTA, Felipe Rodrigues da; NETO, Amarílio Ferreira; SOARES, Antônio Jorge Gonçalves. Crônica esportiva brasileira: histórico, construção e cronista. Pensar a Prática. 10/1, p. 15-31, jan.-jun. 2007.

COUTO, André Alexandre Guimarães. Cronistas esportivos em campo: letras, imprensa e cultura no Jornal dos Sports (1950-1958). Tese (Doutorado em História). Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016.

CRISTINA, Kellen. A Copa para os íntimos. Estado de Minas. Belo Horizonte 11 jun. 2010. Superesportes: Tiro Livre, p. 15.

CRISTINA, Kellen. A vingança da Jabulani. Estado de Minas. Belo Horizonte 18 jun. 2010. Superesportes: Tiro Livre, p. 15.

CRISTINA, Kellen. Os gringos dos gringos. Estado de Minas. Belo Horizonte 25 jun.2010. Superesportes: Tiro Livre, p. 11.

CRISTINA, Kellen. De japonês a uzbeque. Estado de Minas. Belo Horizonte 02 jul. 2010. Superesportes: Tiro Livre, p. 8.

CRISTINA, Kellen. Pela lógica, dá Espanha. Estado de Minas. Belo Horizonte 09 jul. 2010. Superesportes: Tiro Livre, p. 8.

DUNNING, Eric. O esporte como um domínio masculino: observações sobre fontes sociais da identidade masculina e suas transformações. In: ______. Sociologia do esporte e os processos civilizatórios. São Paulo: Annablume, 2014, p. 233-254.

FOUCAULT, Michel. Verdade e poder. In: ______. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 2001, p. 1-14.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Ed. Loyola, 2008.

HARAWAY, Donna. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu. Campinas, SP. n. 5, p. 7-41, 1995.

HARGREAVES, Jennifer. Sporting females: critical issues in the history and sociology of women’s sports. London: Routledge, 1994.

HOLLANDA, Bernardo Buarque. O cor-de-rosa: ascensão, hegemonia e queda do Jornal dos Sports entre 1930 e 1980. In: HOLLANDA, Bernardo Buarque; MELO, Victor Andrade de. (Org.). O esporte na imprensa e a imprensa esportiva no Brasil. Rio de Janeiro: 7Letras, 2012, p. 80-106.

LEAL, Juliana. Gênero e escrita. Revista Ártemis. João Pessoa, PB, v. 5, dez., 2006.

LEVI-STRAUSS, Claude. Lições de escrita. In: ______. Tristes Trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1996, p. 278-287.

MARQUES, José Carlos. A função autor e a crônica esportiva no Brasil: representações da Copa do Mundo em alguns jornais paulistas e cariocas. LOGOS 33. Comunicação e Esporte, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 39-50, 2010.

NEVEU, Érik. Sociologia do jornalismo. São Paulo: Ed. Loyola, 2006.

PERROT, Michelle. Práticas da memória feminina. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 9, n. 18, p. 9-18, ago.-set., 1989.

PERROT, Michelle. As mulheres ou o silêncio da história. Bauru, SP: Edusc, 2005.

RIBEIRO, André. Os donos do espetáculo: histórias da imprensa esportiva do Brasil. São Paulo: Terceiro Nome, 2007.

RICHARD, Nelly. Intervenções críticas: arte, cultura, gênero e política. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

RUBIN, Gayle. O tráfico de mulheres: notas sobre a “economia política” do sexo. In: ______. Políticas do sexo. São Paulo: Editora UBU, 2017, p. 9-61.

SCOTT, Joan. Experiências. In: DA SILVA, Alcione; LAGOS, Mara Coelho de Souza; RAMOS, Tânia Regina de Oliveira. (Org.). Falas de gênero: teorias, análises, leituras. Florianópolis: Editora Mulheres, 1999, p. 21-56.

THERBERGE, Nancy. Gender and sport. In: COAKLEY, Jay; DUNNING, Eric. (Ed.). Handbook of sports studies. London: Sage, 2000, p. 322-334.

WHANNEL, Garry. Sport and the media. In: COAKLEY, Jay; DUNNING, Eric. (Ed.). Handbook of sports studies. London: Sage, 2000, p. 291-308.

WITTIG, Monique. The point of view: universal or particular? In: ______. The straight mind and other essays. Boston: Beacon Press, 1992, p. 60-67.

Endereço: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/fulia/article/view/12911

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.