A Estética da Dor: o Fascínio Pelo Sofrimento no Ciclismo de Estrada no Contexto do Tour de France

Por: Priscila Requião Lessa.

XV Congresso de História do Esporte, Lazer e Educação Física - CHELEF

Send to Kindle


Resumo

A bicicleta surgiu no contexto europeu do final do século XIX. O “andar de bicicleta”, que inicialmente era uma atividade das elites, logo se popularizou, primeiramente na França e depois por outros países europeus, e passou a incorporar membros das classes populares. Dessa forma, andar de bicicleta adquiriu o significado competitivo. Inúmeras corridas de bicicleta foram criadas em diversos países europeus no final do século XIX. Notadamente na França, o ciclismo de estrada atraiu os olhares dos espectadores ao longo das estradas e suscitou a admiração pelas corridas de longa distância de percursos difíceis pelas montanhas francesas. Em 1903 o Tour de France, idealizado pelo jornalista Henri Desgrange, tornou-se a corrida de bicicleta em etapas mais difícil do mundo. Dividida em etapas (atualmente 21) ela exigia muito esforço físico e mental dos corredores. Assim, desde a sua origem o fascínio dos espectadores pelo sofrimento dos corredores fora uma marca da corrida francesa. Da mesma forma os corredores do Tour, ao longo de mais de um século da corrida identificaram suas performances ao sofrimento e à dor, especialmente nas longas escaladas das montanhas impostas nos percursos. O presente trabalho procurou lançar um olhar sobre a estética da dor e do sofrimento vivido pelos corredores de bicicleta e o seu fascínio no contexto do Tour de France. O material selecionado para a construção do presente trabalho se baseou em uma série de documentos que versam sobre o ciclismo de estrada. As fontes incorporam materiais bibliográficos sobre o evento e seus corredores, obras da literatura francesa que versam sobre a importância histórica da corrida e seu simbolismo e, finalmente, um rico material ilustrado sobre os cem anos do Tour de France somado a um conjunto de fontes iconográficas e áudio visual completam o material de pesquisa utilizado. A título de conclusão o trabalho sinaliza que a constituição histórica e heroica ligada ao Tour de France aponta para o fascínio sobre a dor e o sofrimento como elemento significativo na construção de uma representação estética no Tour de France.

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.