A Eternização da Dominação Masculina na Trajetória de Vida de Bailarinos e Jogadoras de Futebol e a Prática Pedagógica no Interior da Escola

Por: .

Revista Educação e Cultura Contemporânea - v.12 - n.27 - 2015

Send to Kindle


Resumo

Neste artigo, procura-se desvelar a dominação masculina a partir da violência simbólica que se instaurou na trajetória de vida de meninos que praticam balé clássico e de meninas que jogam futebol. Aponta-se o enfretamento diário que os cerca socialmente no âmbito escolar, especialmente durante as aulas de Educação Física. Detectou-se, a partir das categorias sociológicas de Pierre Bourdieu (1989), que a ordem masculina, na realidade da sociedade brasileira, está inserida nos corpos, fazendo vítimas os meninos e as meninas sujeitos deste estudo. Revelou-se como a escola (agência hegemonicamente reestruturadora de habitus), por meio de juízos de valores e sanções e da disciplina de Educação Física como possibilidade pedagógica para o desenvolvimento das práticas elencadas (balé e futebol), perpetua e constrói as identidades de gênero e motiva a violência simbólica verificada e fundamentada nas suas trajetórias de vida.

Endereço: http://periodicos.estacio.br/index.php/reeduc/article/view/496

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.