A Experiência Vivida de Atletas Paralímpicos: Narrativas do Desporto Paralímpico Português

Por: Ana Isabel Castro Almeida e Sousa.

617 páginas. 2014 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

A evolução do Movimento Paralímpico Internacional e a crescente visibilidade alcançada pelos atletas paralímpicos despertaram o interesse da investigação. Ao atleta que compete num cenário tão simbólico como os Jogos Paralímpicos exigem-se performances de excelência, mas também se colocam enormes desafios. Em Portugal, face ao decréscimo evidente dos resultados obtidos pela missão paralímpica, torna-se fundamental conhecer a experiência vivida e o contexto envolvente à prática desportiva daqueles que atingiram a alta competição para reverter esta tendência. Nesta medida, foi nossa intenção construir as narrativas de atletas paralímpicos portugueses e explorar, através das suas experiências vividas, o contexto e o significado atribuído pelos atletas à sua prática desportiva. O grupo de estudo foi constituído por 29 atletas paralímpicos portugueses com uma vasta carreira e presença em, pelo menos, duas edições dos Jogos Paralímpicos, entre Sydney 2000 e Londres 2012. Foram realizadas entrevistas de tipo biográfico, tendo em vista a construção de narrativas que elevem a experiência vivida do atleta, dando destaque às suas histórias e vivências desportivas. A construção das narrativas reflete o percurso desportivo do atleta, apresentado numa perspetiva temporal – passado, presente e futuro. Dos dados emergiram sete temas: iniciação e acesso à alta competição; experiência vivida na alta competição; o “outro”; identidade; abandono da prática desportiva; o futuro; evolução do desporto paralímpico em Portugal. Conclui-se que o desporto assume um significado vital para o atleta paralímpico, relevante pelas experiências vividas e com marcas evidentes na construção da sua identidade. A experiência vivida no imaginário paralímpico revestese de significado, sendo destacada nas narrativas através de episódios marcantes, histórias de superação e de transcendência. No percurso desportivo dos entrevistados salienta-se a rápida ascensão ao desporto de elite, a longa carreira edificada na alta competição, a constância de resultados de alto nível, mas também inúmeros obstáculos. Este trajeto distingue-se pelo elevado comprometimento com a prática desportiva, pelo sucesso, pelo reconhecimento social e pela partilha de experiências com os “mais significativos”. A transição decorrente do abandono desportivo representa uma etapa complexa, marcada por receios e incertezas face ao futuro, mas que tende a ser percebida como inevitável e superada positivamente pelos atletas. Nas narrativas é ainda exposto um contexto desportivo adverso, onde se impõem amplas e profundas transformações no sentido de impulsionar o desporto paralímpico e valorizar o atleta paralímpico nacional. 

Endereço: https://sigarra.up.pt/faup/pt//pub_geral.pub_view?pi_pub_base_id=31323&pi_pub_r1_id=

Ver Arquivo (PDF)

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2017 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.