A Formação de Professores de Educação Física no Pafor: Implicações na Organização do Trabalho Pedagógico

Por: Robson dos Santos Bastos.

2013 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo analisa a formação do professor de Educação Física no Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica – PARFOR – e suas implicações na Organização do Trabalho Pedagógico dos professores/cursistas que atuam no ensino da Educação Física, em escolas públicas do Estado do Pará. Estudo que buscou na tradição marxiana, a teoria do conhecimento para auxiliar na análise e na síntese sobre o fenômeno investigado. Para o trato analítico, trabalhamos com as categorias dialéticas da totalidade, mediação e contradição, com o intuito de compreender o movimento do real articulado a outras categorias, científicas e empíricas, que emergiram durante a pesquisa de campo e a análise dos dados, coletados a partir de um questionário e entrevista com os professores/cursistas do PARFOR, alunos do Curso de Educação Física da Universidade do Estado do Pará – UEPA – e Universidade Federal do Pará – UFPA. No desenvolvimento mais geral de análise sobre os elementos constitutivos do PARFOR, identificamos a predominância de uma lógica liberal sobre a Formação de Professores, determinada por influências ideológicas oriundas de uma política macroeconômica direcionada à Educação Básica, com a justificativa da melhoria da condição econômica do país. Uma proposta baseada em um projeto histórico e em teorias educacionais e pedagógicas das competências, sustentadora de uma formação profissional fragmentada, com o intuito de manter o modo de produção atual; proposta baseada ainda na flexibilização da força de trabalho e na instrumentalização do conhecimento. Identificamos que esses elementos fazem parte dos pressupostos do PARFOR e dão continuidade às reformas educacionais iniciada na década de 1990. A partir da análise dos dados, concluímos que as implicações na Organização do Trabalho Pedagógico dos professores/cursistas se constituem através de práticas pedagógicas sem sustentabilidade teórica; na Organização do Trabalho Pedagógico com conhecimentos fragmentados e superficiais; na dificuldade da relação teoria/prática; e, na desvinculação da pesquisa como processo essencial na relação ensino/aprendizado. Além disso, a pesquisa revelou que o PARFOR/PA tem sérias dificuldades de gestão, por não atender, em sua plenitude, aos professores sem formação que estejam atuando em escolas públicas. Por fim, na perspectiva de superar as problemáticas identificadas, propomos fundamentos básicos que devem constituir uma Política de Formação de Professores, a partir de elementos essenciais para o desenvolvimento de uma formação de caráter ampliado e de qualidade.

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.