A Fundação dos Clubes Esportivos em São Luís

Por: .
Send to Kindle


~~A fundação dos primeiros clubes para a prática esportiva data de 1881, quando é fundado o Horses Racing Club – depois Racing Clube Maranhense  -, pelo irlandês Septimus Summer, situando-se no antigo Campo do Ourique (hoje, Praça Deodoro) – para a prática do turfe, ou hipodrismo, segundo Martins (1989) -, subsistindo até o final daquele primeiro ano de funcionamento; ainda em 1881, Alexandre Rayol, Saturnino Bello, Campêlo França, e Raimundo Veiga estão à frente de um clube recreativo, cujo objetivo principal era realizar passeios, pic-nics, e banhos de mar.  No ano de 1893, é fundado o Prado Maranhense, por Virgílio Cantanhede e localizava-se no João Paulo, também para a prática de corridas a cavalo.
Em 1900, são fundados diversos clubes esportivos, como o Clube de Regatas Maranhense, por Manoel Moreira Nina; a União Velocipédica Maranhense, situada no Tívoli (Remédios), para a prática do ciclismo... Esses clubes, como tantos outros, tiveram vida efêmera, mesmo movimento que vai se suceder nas décadas seguintes, surgindo novas agremiações para logo em seguida, encerrar suas atividades.
Como aconteceu com o turfe, que após esses primeiros anos só é retomado na década de 50, por Amélio Smith, no Gangan; ou o ciclismo, que retorna em 1929, quando Zairi Moreira, Carlos Cunha e Mendonça Gonçalves fundam o Velo Clube, para logo a seguir, surgir o Ciclo Moto Clube de São Luís, incluindo-se as corridas de motocicletas, em seus programas esportivos.
Em dezembro de 1904, surge o Clube Euterpe Maranhense, a princípio um clube social e literário, para, em 1907, com a fundação do Fabril Athetic Club  – clube esportivo e social – passar também à prática esportiva. O Euterpe tinha sua sede na rua 7 de Setembro, onde era a casa do Comendador Leite (pai de Benedito Leite, mais tarde sede de O Imparcial, hoje abandonado e em ruínas ...). Além de passeios embarcados, havia o jogo de bilhar e danças em sua sede, quando em 1907, adquirem um terreno no Parque 15 de Novembro, esquina com a Travessa Independência, para as práticas esportivas, dentre elas, o Tênis e o Tiro ao Alvo. Ao encerrar suas atividades em 31 de dezembro de 1910, seus sócios fundam o Casino Maranhense (1911).
Em 1905, Nhozinho Santos retorna da Europa, e, acostumado à prática de esportes, traz em sua bagagem diversos apetrechos, e reúne os jovens da elite maranhense, comerciantes ingleses, alguns empregados do comércio, também ingleses, para dar início à prática de diversas modalidades esportivas, terminando por fundar o seu clube, nas dependências da Fábrica Santa Isabel, na Quinta do Lapemberg, (hoje, o espaço compreendido no prédio do antigo SESI (Procuradoria Pública) e o Canto da Fabril). Assim, em 27 de outubro de 1907, o clube é inaugurado.
Daí, surgem outros clubes, como o Maranhense Foot-Ball Club, fundado em novembro de 1908, por rapazes empregados do comércio, com sede na rua São João, 60.
Em 1910, o esporte em Maranhão – diga-se, o FAC (Fabril Athetic Club) - experimenta uma de suas inúmeras crises, surgidas com o descontentamento de alguns associados por causa de problemas financeiros, não só da Fábrica Santa Isabel - de propriedade da família de Nhozinho Santos -, mas por falta de pagamento de mensalidades por parte dos associados - da maioria, segundo MARTINS (1989). Das propostas apresentadas, 13 associados não concordaram, pedindo sua eliminação. Pensavam na formação de uma outra agremiação, mais popular, aberta, mais democrática.
Fundam o ONZE MARANHENSE, que, além do futebol, desenvolveu outras atividades esportivas: tênis, crocket, basquetebol, bilhar, boliche, ping-pong (tênis de Mesa), xadrez, e a luta livre, introduzida por Álvaro Martins.
É ainda em 1910, que Miguel Hoerhan começa a prestar à mocidade ludovicence seus serviços como professor de Educação Física da Escola Normal, Escola Modelo, Liceu Maranhense, Instituto Rosa Nina, e em diversas escolas estaduais e municipais. Funda o Club Ginástico Maranhense.   
É nesse período que surge nesse cenário o vice-cônsul inglês no Maranhão, Mr. Charles Clissold, um grande amante dos esportes. Junta-se aos dirigentes do FAC, incentivando a prática de vários esportes. Muitos jovens tinham feitos suas inscrições, com o clube revivendo seus grandes dias e sendo oferecidas várias modalidades, como salto em altura simples, com vara, distância; corridas de velocidade, de resistência, com obstáculos; lançamento de peso, de disco, do martelo; placekick (pontapé na bola, colocando-a na maior distância);  cricket; crockt ; ping-pong (Tênis de mesa); bilhar; luta de tração, etc. Mas esse clube estava aberto apenas para os filhos da aristocracia maranhense.
A população, de um modo geral, não participava dessas atividades. Gentil Silva não concordava com a elitização do clube e sai do FAC, junto com um grupo de outros dissidentes, que comungavam do mesmo pensamento: "foi, sem qualquer sombra de dúvida, Gentil Silva o responsável pela popularização do futebol em terra maranhense, no momento que, deixando as hostes do FAC, achou oportuno desenvolver a prática do apreciado esporte aos olhos do povo, num campo que, de princípio não possuía cercas". (MARTINS, 1989, p. 332)
Nhozinho Santos consegue a inscrição de "seu" clube na Confederação Brasileira de Tiro (1908), ao mesmo tempo que implanta o "jiu-jitsu", com um grande número de adeptos. Ao que parece, essa modalidade foi introduzida por Aluísio Azevedo, pois fora cônsul no Japão por quase três anos e deve Ter aprendido essa arte marcial, assim como a jogar tênis e futebol, quando de sua estadia na Inglaterra.
Nova crise, desta vez em 1915, pelos mesmos motivos, atingindo não só o FAC, como o Onze Maranhense. O futebol – introduzido oficialmente em 1907, mas praticado desde 1905 – está em crise. Nesse, há uma tentativa de reabilitação por parte de jovens estudantes, alunos do Liceu Maranhense, dos Maristas e do Instituto Maranhense. São criados vários clubes, como o Brasil Futebol Clube, São Luís Futebol Clube, Maranhão Esporte Clube (1916), Aliança Futebol Clube, e Gentil Silva fundada um novo clube, o Guarani Esporte Clube.
O FAC é reativado, mas com o nome de Foot-ball Athetic Club, para manter a sigla – anos mais tarde, outro clube se utilizará dessa sigla, o Ferroviário Atlético Clube -. Gentil Silva reativa o seu Onze Maranhense, no Parque 15 de Novembro, na Av. Beira Mar, próximo do Beco do Silva (hoje, Casino Maranhense). O Brasil F. Clube tem sua sede junto ao Gasômetro (Mercado Central); surgem o Vasco da Gama E. Clube, o Santiago E. Clube, o Fênix F. Clube.
De uma dissidência do FAC e do Maranhense Futebol Clube, surge o Esporte Clube Luso Brasileiro, nesse ano de 1915. No ano seguinte – 1916 – em 16 de maio, é fundada a Liga Esportiva Maranhense, para disciplinar a transferências de jogadores de futebol, editando-se o Código de Transferência de Jogadores. É fundado o São Cristóvão Futebol clube, por Carlos Mendes; o FAC amplia a oferta de esportes, introduzindo o Basquetebol, o Boliche e continua a prática do futebol, do tênis, do tênis de mesa, do crockt, do críckt, do bilhar e dos atletismo (jogos olímpicos). A 21 de março, os Professores Atimathea Cisne e Oscar Barroso fundam o Maranhão Esporte Clube e, em 23 de setembro desse ano, o FAC enfrenta os tripulantes do navio “Benjamin Constant” em um jogo de futebol. No Anil, surgem o Timbira e o Ubirajara.
Após sofrer algumas derrotas frente ao Clube do Remo, o FAC começa a importação de jogadores (1917), contratando o goleiro Corinto. Em 10 de abril, é criada a Liga Maranhense de Futebol, sendo sua diretoria composta pelo Capitão-Tenente Artur Rego Meireles (Presidente), tendo como seu Vice Joaquim Moreira Alves dos Santos (Nhozinho Santos) e Secretários, Gentil Silva e João Belfort, e como Tesoureiro Jonas Hersen. Surgem o Clube do Muque, para a prática do remo, e o Tiro Maranhense, além do Centro de Cultura Física Maranhense, com sede na Rua Grande, 132. No Anil, é fundado o Anilense Futebol Clube.
No ano de 1918, vamos encontrar a prática do bilhar no Bar Carioca, destacando-se no taco Sarmento e Paraíso. Esses esportistas, para melhorar suas performances, praticavam halteres, remo, e ginástica.
No FAC, as mulheres principiam a praticar esportes, participando de jogos de Tênis e Crockt. As quadras de tênis, os campos de cricket e crickt e de boliche recebem iluminação elétrica, passando-se a realizar jogos à noite. É introduzido o Ciclismo e as corridas rústicas. No Luso, pratica-se ginástica e é criada uma escola de aviação.
Em 1919, no dia 25 de agosto, os diversos representantes dos clubes entram em um acordo, unindo as diretorias das duas ligas – a de Esportes e a de Futebol, criando-se a Confederação Maranhense de Desportos:
CLUBES REPRESENTANTES
Atenas Benedito Ciríaco
Colombo Pedro Mendes
FAC Alcindo Oliveira
Nacional João Krubusly
Baluarte Francisco Furiato
Marcílio Dias Tent. Dias Vieira
Hércules Humberto Fonseca
Espartano Tancredo Matos
Mignon Eliude de Sousa Marques
São Cristovão Almir valente
América Herman Belo
Barroso Nilton Aranha
União Antenor Rodrigues da Mota

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.