A Gestão de Marca Como Estratégia Competitiva Rumo Ao Golfe Olímpico

Por: Lilian Urata.

20 páginas. 2012 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

reintegração do golfe aos Jogos Olímpicos de 2016 e 2020 traz uma nova abordagem para o golfe competitivo e o sistema de gestão da Confederação Brasileira de Golfe (CBG). Neste contexto, o estudo aborda a importância da gestão de marca como meio de competitividade para a maximização de resultados, não só para o golfe brasileiro como para o golfe mundial, frente às oportunidades que surgem com a reintegração da modalidade. A ferramenta teórica foi a utilização de conceitos científicos e levantamento bibliográfico disponibilizados pela literatura. Com o estudo, podemos observar que a gestão da marca funciona como uma ferramenta poderosa e imperativa para a compreensão de que o golfe vive um momento único em função do momento do esporte no Brasil e da necessidade de um processo de liderança na criação de diferenciais competitivos na disputa pelos espaços olímpicos. Como resultado de uma gestão integral e profissional da marca, estará a capacidade da organização em agir em sintonia com sua essência, de forma integrada e inovadora, fornecer uma direção estratégica e compartilhada do golfe a fim de criar relações de qualidade com os públicos estratégicos e garantir uma performance superior e sustentável. A marca como estratégia de gestão aliada à crescente amplitude e alcance dos Jogos Olímpicos proporcionará uma expansão das forças para o desenvolvimento do esporte e o enaltecimento dos diferenciais competitivos na disputa pela permanência do golfe no programa olímpico.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.