A Gestão do Espaço Físico Destinado à Prática de Atividades Físicas Esportivas nas Escolas da Grande Florianópolis

Por: Jansen Atier Estrázulas.

56ª Reunião Anual da SBPC

Send to Kindle


INTRODUÇÃO:

Considerando-se a disseminação dos estabelecimentos de ensino de forma desordenada em Florianópolis, e sendo estes estabelecimentos de ensinos mercado de trabalho latente para profissionais da área de Educação Física, e ainda que alguns apresentam espaços generosos e outros impossíveis para a prática de atividades esportivas. Realizou-se esta pesquisa com o objetivo de avaliar o modelo de gestão do espaço físico destinado à prática de atividades físicas nos estabelecimentos de ensino públicos e privados da grande Florianópolis e, especificamente a) O perfil do gerente esportivo destes estabelecimentos; b) Caracterizar o espaço físico destinado à prática de atividades físicas nestes estabelecimentos; c) Identificar possíveis carências contidas no processo de otimização destes espaços; d) Verificar a relação custo/benefício entre espaço físico/matrícula; e) Analisar o retorno institucional obtido pela utilização do espaço físico destinado à prática de atividades físicas; f) Comparar o processo de ocupação entre estabelecimentos de ensino públicos e privados, que possuem e não possuem espaço físico destinado à prática de atividades físicas.


METODOLOGIA:

Esta pesquisa foi classificada como do tipo descritiva diagnóstica. A população constituiu-se de 34 estabelecimentos de ensino da grande Florianópolis, sendo 17 públicos e 17 privados. Na coleta de dados utilizou-se os seguintes procedimentos: a)contato com os diretores de escolas apresentando o projeto e solicitando autorização para realização do estudo. b) contato com os gerentes esportivos e conseqüente aplicação dos questionários e agendamento da data de recolhimento. Para a aplicação do instrumento utilizou-se um questionário padronizado, contendo perguntas abertas e fechadas com os seguintes índices de confiabilidade: clareza 0,96 e validade 0,96. No instrumento de medida continha questões versando sobre: existência ou não de espaço físico, características das áreas destinadas a prática de atividades físicas, utilização da área, custo da utilização, índice de ocupação do espaço físico disponível, atividades desenvolvidas, número de matrículas, participação nas aulas de educação física, dispensa dos alunos das aulas de educação físicas, matrículas novas, manutenção de matrículas, retorno institucional e percentual de ocupação do espaço físico destinado as práticas de atividades físicas.No tratamento dos dados utilizou-se a estatística descritiva para as questões fechadas e a análise de conteúdo para as questões abertas.

RESULTADOS:

Dentre os resultados obtidos destaca-se: o gerente esportivo geralmente é do sexo masculino, com média de 36,12 anos, graduado em educação física. 82,35% dos estabelecimentos apresentam área destinada à prática de atividades físicas superior a 1000 m², com demarcação e equipamentos para as voleibol, futsal, basquetebol e handebol, revestida em 47,05% de cimento. As edificações são orientadas no sentido Norte-Sul e possuem vestiário em 41,17% das escolas. A distribuição dos horários para a prática de atividades físicas é determinada em 67,64% dos casos pela grade curricular da escola. A maioria dos estabelecimentos não mantém dados dos gastos com a educação física. As escolas menores apresentaram os melhores índices de ocupação desses espaços físicos. As maioria das escolas adotam três aulas semanais (52,94%) e não aceitam dispensa das aulas de educação física (67,64%), exceto em casos de saúde. A rede de ensino particular utiliza este espaço físico como marketing para a escola, e apesar de haver momentos ociosos, estes são sempre em menor número, que os da rede pública. Existe o entendimento pelos diretores de que este espaço físico é um bom investimento, pois 26,92% afirmaram que ele traz retorno institucional, 24,35% que ele serve de propaganda e 19,23% que facilita a rematrícula. Contudo, as escolas que possuem coordenador de educação física apresentaram maior diversidade de opções a seus alunos, mesmo não apresentando os melhores índices de otimização dos espaços.

CONCLUSÕES:

concluiu-se que a) o perfil profissional do gerente esportivo responsável pelas instalações físicas compreende exclusivamente de homens, graduado em educação física que se atualiza freqüentemente; b) o espaço físico destinado as atividades físicas possui área superior a 1000m², prevendo a utilização com várias modalidades, sendo cobertas, revestidas de cimento e orientadas no sentido norte-sul; c) não há otimização no uso do espaço físico disponível cujo critério de distribuição dos horários baseia-se na grade curricular e formação de equipes de treinamento implicando numa baixa relação custo benefício; d) O retorno institucional obtido reflete sobre propaganda e marketing institucional, sem contudo poder-se mensurar a sua influência como retorno financeiro; e) Quanto ao modelo de gestão, nas escolas particulares a ocupação é mais criteriosa, com menor ociosidade, utilizando-se este espaço como marketing e como forma de atrair e agradar o usuário. O melhor modelo de gestão do espaço físico destinado à prática de atividades esportivas pelas escolas da grande Florianópolis foi encontrado nos estabelecimentos menores, principalmente na rede privada, pois apresentam os melhores índices de otimização do espaço destinado à prática de atividades esportivas, em relação a quantidade total de alunos matriculados.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.