A História Social do Movimento Olímpico Brasileiro no Início do Século Xx

Por: Danilo Luis Rodrigues Lemos.

2008 27/05/2008

Send to Kindle


Resumo

A participação nos Jogos Olímpicos é condicionada à atuação de um comitê olímpico nacional. A criação dos referidos comitês é um fator controverso no Movimento Olímpico, uma vez que está subordinada à escolha de um representante nacional no Comitê Olímpico Internacional e que tal escolha não é democrática. Verificando a formação do esporte moderno e as características sociais que influenciaram a formação do Movimento Olímpico nacional e internacional, este trabalho visa identificar as razões que levaram o Brasil a fundar dois Comitês Olímpicos Brasileiros, e as implicações da história das entidades esportivas brasileiras nos dias de hoje. Para a realização do estudo foram consultados periódicos como o Jornal do Brasil, Jornal dos Sports, O Estado de São Paulo e Diário de São Paulo das décadas de 1910, 1920 e 1930 e também atas do Club Athletico Paulistano de 1912 a 1936, bem como o acervo da instituição. A agitação brasileira para ingresso no Movimento Olímpico inicia-se em 1912 e é influenciada pelo Comitê Olímpico Português e pelo caráter oligárquico do COI. A fundação do segundo COB em 1935 é marcada pela institucionalização das entidades esportivas e a conseqüente disputa pela representação das modalidades

Endereço: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/39/39133/tde-11082008-093623/pt-br.php

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.