A Importância da Neurociência Para o Esporte Coletivo: Uma Revisão Narrativa

Por: Edil de Albuquerque Rodrigues Filho, Francielly Ketully dos Santos Flor, Iberê Caldas Souza Leão, Luvanor Santana Silva e .

Revista de Educação Física - Centro de Capacitação Física do Exército - v.86 - n.3 - 2017

Send to Kindle


Resumo

Introdução: A neurociência investiga o sistema nervoso central em relação a diversos aspectos do comportamento e da fisiologia humanos. Aplicada à prática esportiva, favorece o desenvolvimento de ferramentas didáticas em métodos de ensino-aprendizagem-treinamento contribuindo para que os objetivos de desempenho sejam alcançados.

Objetivo: Descrever a importância da interface neurociência para a prática de modalidades esportivas coletivas (MEC). Métodos: Estudo narrativo, exploratório, descritivo e qualitativo, uma pesquisa bibliográfica. Foram utilizados livros em português e artigos científicos nacionais e internacionais pesquisados nas bases de dados Scielo, Mediline e Pubmed, dos últimos 15 anos (2000 a 2015).

Resultados e Discussão: Situações-problema no esporte coletivo são basilares e o treinador deve estimular a inteligência do atleta durante o processo ensino-aprendizagem-treinamento (E-A-T).

Conclusão: A partir dos relatos descritos dos estudos vinculados a interface neurociência e as MEC, conclui-se que a aplicação de conhecimentos em neurociência na manipulação do ambiente de treino pode contribuir para melhorar o desempenho esportivo. Tal benefício está intimamente relacionado ao conhecimento que o treinador/professor possui e, ao mesmo tempo, à importância dada à sua aplicação ao utilizar uma metodologia de treinamento adequada às faixas etárias trabalhadas, segundo a qual os métodos utilizados enfatizem ainda mais as funções executivas dos atletas. Nesse contexto, o comportamento técnico-tático pode ser modificado e boas decisões ocorrerão em prol do sucesso na competição.

The Importance of Neuroscience for the Collective Sports: A Narrative Review

Introduction: Neuroscience is understood as a set of sciences whose object to be investigated is the central nervous system itself. Applied to sports practice, it favors the development of didactic tools in teaching-learning-training methods, contributing to the attainment of performance objectives.

Objective: To describe the importance of the neuroscience interface and the practice of collective sports modalities (CSM).

Methods: Exploratory, narrative, descriptive and qualitative study, a bibliographic research. Portuguese - language books and national and international scientific articles were searched in the Scielo, Mediline and Pubmed databases of the last 15 years (2000 to 2015).

Results and Discussion: Situations problems in collective sport are fundamental and the coach should stimulate the athlete's intelligence in teaching-learning-training (TLT).

Conclusion: From the reports described in the studies linked to neuroscience interface and MEC, it is concluded that the application of knowledge in neuroscience in the manipulation of the training environment can contribute to improve sports performance. This benefit is closely related to the knowledge that the trainer / teacher has and, at the same time, to the importance given to its application by using a training methodology appropriate to the age groups worked, according to which the methods used emphasize even more the executive functions of the athletes. In this context, technical-tactical behavior can be modified and good decisions will be made for success in the competition.

Referências

Garganta J. O treino da táctica e da técnica nos jogos desportivos à luz do compromisso cognição-ação. In: Barbanti V, Bento J, Marques A, Amadio A. (ed.) Esporte e atividade física: interação entre rendimento e qualidade de vida. São Paulo: Manole, 2002. p. 281-306.

Caldas I, Almeida M, Matos R, Viana T, Greco P, Sougey E. Processos cognitivos envolvidos na prática do handebol: Aspectos importantes para formação de atletas de alto rendimento. Neurobiologia. 2012; 75(1-2) 183-191.

Da Silva V. Aprendizagem neural. In: Beltrão F, Beresford H, Macário N. (Orgs.).(eds.) Produção em ciência da motricidade humana. Shape; 2002. p.3-70.

Matias CJ, Greco PJ. Desenvolvimento e validação do teste de conhecimento tático declarativo para o levantador de voleibol. Arquivos em Movimentos. 2009; 5, (1): p. 61-80.

Dantas LE, Manoel EJ. Conhecimento no desempenho de habilidades motoras: (ed.) O problema do especialista motor. Comportamento motor: Aprendizagem e desenvolvimento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. p. 295-313.

Herreras E. Cognitive Neuroscience; The Biology Of The Mind. Cuadernos de neuropsicología. 2010; 4, (1): p. 87-90.

Azzouz R. Dynamic Spatiotemporal Synaptic Integration in Cortical Neurons: Neuronal Gain, Revisited. Journal Neurophysiology. 2005; 94: 2785–2796. doi:10.1152/jn.00542.2005.

Jensen JL, Marstrand PC, Nielsen JB. Motor skill training and strength training are associated with different plastic changes in the central nervous system. Journal of Applied Physiology. 2005;99(4):1558-68. doi:10.1152/japplphysiol.01408.2004.

Almeida M, Rocha M, Arêas N, Bezerra K, Furtado V. Efeitos da imagética associado à música na melhora do arremesso de lance livre no basquetebol: comparativo entre dois grupos etários. Fitness & Performance Journal. 2008;7 (6):380-385. doi:10.3900/fpj.7.6.380.p .

Williams M, Hodges N. Practice, instruction and skill acquisition in soccer: challenging tradition. Journal of Sports Sciences.2005; 23 (6):637-50. Available from: doi: 10.1080/02640410400021328.

Gazzaniga S. The Split-brain: Rooting consciousness in biology. Commentary. 2014; 111 (51): 18093-18094. doi: 10.1073/pnas.1417892111.

Gallahue D, Ozmum J. (eds.) Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, crianças, adolescentes e adultos. 3. Ed. São Paulo: Phorte; 2001. p. 19-26.

Matias CJ, Greco PJ. Desenvolvimento e validação do teste de conhecimento tático declarativo para o levantador de voleibol. Arquivos em Movimentos. 2009; 5, (1): p. 61-80.

Ali A. Measuring soccer skill performance: a review. Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports. 2010; 21 (2): 170-183. Available from: doi: 10.1111/j.1600-0838.2010.01256.x.

Scaglia A, Reverdito R, Leonardo L, Lizana C. O ensino dos jogos esportivos coletivos: as competências essenciais e a lógica do jogo em meio ao processo de organizacional sistêmico. Movimento. 2013; 19 (4): 227-249. http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=115328881011.

Giacomini D, Silva E, Greco P. Comparação do conhecimento tático declarativo de jogadores de futebol de diferentes categorias e posições. Revista Brasileira Ciência Esporte. 2011; 33 (2): p.445-463.

Lombroso, P. Aprendizado e memória. Revista Brasileira Psiquiatria. 2004; 26 (3): 207-10.

Greco P. Conhecimento tático-técnico: eixo pendular da ação tática (criativa) nos jogos esportivos coletivos.(eds.) XI Congresso Ciências do Desporto e Educação Física dos países de língua portuguesa. Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil. Anais eletrônicos... São Paulo: Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. 2006. 20: p.210-12.

Giacomini D, Greco P. Comparação do conhecimento tático processual em jogadores de futebol de diferentes categorias e posições. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. 2008; 8 (1): 126-36.

Bear M, Connors B, Paradiso M. (eds.) Neurociências: Desvendando o sistema nervoso. Porto Alegre: Artmed; 2002. p. 739-807.

Helene A, Xavier G. A construção da atenção a partir da memória. Revista Brasileira Psiquiatria. 2003; 25 (2): 12-20.

Marques J. Um modelo de jogo para o voleibol na areia. Conexões, Revista da Faculdade de Educação Física da UNICAMP. 2008; 6 (3): 13-26.

Morales JCP, Greco PJ. A influência de diferentes metodologias de ensino-aprendizagem-treinamento no basquetebol sobre o nível de conhecimento tático processual. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. 2007; 21(4): 291-299.

Corrêa UC, Sabino SA, Paroli R. Efeitos de diferentes métodos de ensino na aprendizagem do futebol de salão. Motriz Revista de Educação Física. 2007; UNESP 10 (2):79-88.

Silva TAF, De Rose JD. Iniciação nas modalidade esportivas coletivas: a importância da dimensão tática. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte. 2009; 4 (4): 71-93.

Bento A. Como fazer uma revisão da literatura: Considerações teóricas e práticas. Revista JA (Associação Académica da Universidade da Madeira). 2012; VII ( 65): 42-44.

Caldas I, Almeida M, Matos R, Viana T, Greco P, Sougey E. Processos cognitivos envolvidos na prática do handebol: Aspectos importantes para formação de atletas de alto rendimento. Neurobiologia. 2012; 75(1-2) 183-191.

Gazzaniga S, Ivry B, Mangun R. (eds.) Neurociência cognitiva: a biologia da mente. Porto Alegre: Artmed; 2006.p.123-145.

Memmert D. Inattentional blindness to unexpected events in 8 - 15 years old. Cognitive Development.2014;32: 103-109. doi.org/10.1016/j.cogdev.2014.09.002.

Ali A, Kor L. Association between brain hemisphericity, learning styes and confidence in using graphics calculator for mathematics. Eurasian Journal of Mathematics, Science and Technology Education. 2007; 3(2):127- 131.

Pagnano-richardson K, Henninger L. A model for developing and assessing tactical decision-making competency in game play. Journal of Physical Education, Recreation & Dance.2008; 79 (3):24-9. doi.org/10.1080/07303084.2008.10598145.

Elfering-gemser E, Visscher C, Lemmink K, Mulder T. Relation between multidimensional performance characteristics and level of performance in talented youth field hockey players. Journal of Sports Sciences. 2004;(22):11-12.doi.org/10.1080/02640410410001729991. [Accessed 13th september 2017]

Savelsbergh G, Williams M, Van der kamp J, Ward P. Visual search, anticipation and expertise in soccer goalkeepers. Journal of Sports Sciences. 2002;20 (3): 279-287. Available from: doi.org/10.1080/026404102317284826.

Guerra L. O diálogo entre a neurociência e a educação: Da euforia aos desafios e possibilidades. Revista Interlocuções. 2011;4(4):74-91.

Memmert D. Inattentional blindness to unexpected events in 8 - 15 years old. Cognitive Development.2014;32: 103-109. doi.org/10.1016/j.cogdev.2014.09.002.

Sternberg J, Grigorenko L. (ed.) Inteligência plena: ensinando e incentivando a aprendizagem e a realização dos alunos. Porto Alegre: Artmed, 2003.

Rotta T, Ohlweiler L, Dos Santos RR. (ed.) Transtornos da aprendizagem: Abordagem neurobiológica e multidisciplinar. Porto Alegre: Bookman, 2007.

Coch D, Ansari D. Bridges over troubled waters: education and cognitive neuroscience. Trends in Cognitive Sciences. 2006; 10(4): 146-151. doi:http://dx.doi.org/10.1016/j.tics.2006.02.007.

Conde E, Filgueiras A, Lameira A. (ed.) Tempo de reação no futebol: A tarefa de Compatibilidade Estímulo-Resposta (CER) como estratégia de treinamento. Coleção Pesquisa em Educação Física. Editora Fontoura. 2009; (5):199-204.

Endereço: http://177.38.96.106/index.php/revista/article/view/267

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.