A importância da prática desportiva para a formação do comportamento social de crianças e adolescentes

Por: Alexandre Augusto Cruz de Oliveira.

III EnFEFE - Encontro Fluminense de Educação Física Escolar

Send to Kindle


 Muitas questões envolvem a prática esportiva em nossos dias, como a falta de informações inerentes a esta prática, os problemas e deformidades causados por sua utilização sem acompanhamento especializado ou mesmo pela violência que envolve o esporte de alto nível. Entretanto, mesmo com tantos pontos conflitantes, é inegável que o esporte possui em nossa sociedade um valor cultural extremamente relevante.


Esta visão cultural do esporte é apresentada por Flávio M. Pereira (1988), da seguinte forma:
 "O esporte é um elemento cultural diferenciado, com grande abrangência e dependências, é componente da cultura universal que alia a saúde à alegria, que serve tanto à Educação como ao lazer. Sua prática tem tal apelo que cria um verdadeiro espírito esportivo". (p. 223)


 Como verdadeiro fenômeno, o esporte possui diversas possibilidades positivas e negativas na sua utilização como conteúdo educacional nas escolas e sem dúvidas, cada uma dessas possibilidades encontra-se sobre constante reflexão por parte de vários autores que buscam incessantemente enquadras a prática esportiva desntro das diferentes realidade sociais de nossa escola.
Entre as diferentes possibilidades positivas e negativas na sua utilização como conteúdo educacional nas escolas e sem dúvida, cada uma dessas possibilidades encontra-se sobre constante refexão por parte de vários autores que buscam inbcessantemente enquadrar a prática esportiva dentro das diferentes realiddes sociais de nossa escola.


 Entre as diversas possibilidades dispostas, o esporte é visto em muitos momentos como fator de fundamental importância para o desenvolvimento da criança e do adolescente. Dentre estas possibilidades, a visão de competição ligada ao esporte será foco deste nosso estudo.


 A competição tem-se constituído em um elemento polêmico ligado ao assunto, sem dúvida se apresenta como um dos processos socias mais complexos observados em nossa sociedade.
Segundo Samuel Koenig (1988), para uma harmonia e maior desenvolvimento dos indivíduos em suas relações com os grupos de que fazem parte, a competição realizada de maneira leal se constitui em um elemento que: "conduz ao progresso econômico e social e mesmo ao bem estar geral, pois incita os indivíduos e grupos a empenhar o melhor de seus esforços". (p. 306 e 307).
Partindo portanto, destas colocações, procuraremos atrvés deste estudo, as diferentes determinantes da prática de esportes por crianças e adolescentes sobre seu comportamento social nos diferentes da prática de atividades esportivas podem favorecer a formação de uma pré-concepção de seu valor social.


 Justificativa


 Este estudo por embasar-se fundamentalmente na influência de atividades esportivas sobre o comportamento social da criança e do adolescente, necessita de especial atenção se observarmos a imensa influência dos meios de comunicação e da mídia de forma geral sobre o fenômeno esporte, o que pode levar alguns profissionais relacionados a esta área (professores de Educação Física e Técnicos Desportivso), a uma conduta de utilização deste conteúdo condizente com a demanda relativa aos diferentes grupso sociais envolvidos.


 O despreparo de alguns profissionais, muitas vezes concorrem para a utilização inadequada ou mesmo incoerente das atividades esportivas, aumentando muitas vezes a agressividade, deslealdade e até mesmo a violência no comportamento das ciranças e adolescentes, podenso influir diretamente sobre sua conduta futura, como adulto.


 Não são raras as vezes em que a conduta do professor de Educação Física se confunde com a do Técnico Desportivo, privilegiando talento e performance e discriminando alguns alunos menos habilidosos, o que acaba ocorrendo graças a ausência de aprofundamento teórico sobre as determinanes socias e culturais que envolvem o esporte e sua prática.
Segundo Rita de Cássia Garcia Verenguer (1989), torna-se necessária uma reavaliação do esporte de forma direta e específica:
 "O estudo sistemático e rigoroso sobre o fenômeno, teria que ter como ponto primeiro o afastamento dos clichês que caracterizam seu universo. Ao afastar dasproposições do senso-comum será possível revelar com autenticidade as asserções dobre o assunto". (p. 84 e 85)


 É a partir de uma visão aprofundada do esporte e sua influência no cotidiano das crianças quae consideramos necessário buscar as determinantes desta prática em seu comportamento social futuro, não deixando de salientar as formas pelas quais a prática de ativides esportivas concorre para a aquisição de valores essenciais como a solidariedade, a fraternidade, alealdade, o espírito esportivo e outros valores fundamentais para a formação do caráter de um cidadão.
Será baseado nestas prioridades que procuraremos desenvolver este estudo que sem dúvida, poderá enriquecer o dia-a-dia dos professores de Educação Física nas escolas e outros ambientes característicos da prática de atividades esportivas.


 Referencial teórico


 A partir desta ealidade riquíssima apresentada pelo esporte, torna-se simples a compreenção de seu papel como formador de conduta, comportamaentos e até mesmo de ideias dentro de nossa sociedade, o que no caso das ciranças e adolescentes é extraordinariamente mais latente.
Este também parece ser o pensamento observado pelo Grupo de Trabalho Pedagógico UFPe - UFSM (1991), quando diz que:
 "O esporte mostra-se, desse modo como um campo de ação socialmente estabilizado com diferentes estruturas, com objetivos pré-determinados, formas de movimentos e instituições, e também como possibilidade aberta para uma ação alternativa, livre e auto definida". (p. 36)


 Unido a tais valores tão necessários a formação da personalidade do adolescente, torna-se importante também observar a prática espoertiva de forma crítica e consciente, procurando adequá-la a realidade de cada praticante.
 Esta peculiaridade é observada pelo Coletivo de Autores (1996), que referindo-se a desmistificação do esporte ressalta:
"Desmistificá-lo através da exploração de conhecimentos que possibilitem ao aluno criticá-lo dentro de um determinado contexto sócio-econômico-cultural, Esse conheceimento deve promover também a compreenção de que a prática esportiva deve ter o significado de valores e normas que assegurem o direito a prática do esporte".(p. 71)


 Para que esta dismistificação seja possível, é necessário mais do que nunca identificar as variáveis que envolvem o esporte e sua prática, bem como suas características a ele relacionadas, que basicamente ditam as normas de comportamento de nossas crianças e adolescentes dos diversos meios de que fazem parte.


 Contudo é necessário tratar o fenômeno esporte com a devida atenção que o mesmo merece, lembrando que atualmente praticar esporte é sinônimo de estar culturalmente e socialemnte envolvido em um processo visto cor Vitor Marinho de Oliveira (1983), de uma forma peculiar: "Independente do ângulo do observador a força do esporte é irresistível e, em alguns lugares o seu conceito universalizou-se". (p. 77)


 Considerações finais


 Não é novidade que o esporte assume atualmente um papel importante no cotidiano cultural de nossa sociedade e que primeiramente é elemento chave para a mídia que utiliza sua imagem de forma irrestrita com intuito extremamente consumista.
Mas o que, ao nosso ver, gera preocupação é a forma como o esporte é visto por nossas crianças e adolescentes, muitas vezes conduzindo-os a comportamentos agressivos e até violentos.


 A partir desta preocupação consideramos necessário enfatizar nos meios educacionais uma abordagem crítica embasada na análise de padões de comportamento sociais e anti-sociais presentes no esporte, que não são formas estanques de comportamento, mas constuídas e que podem como elementos da própria sociedade serem discutidos e reavaliados.
É verdade que as normas dominantes e valores vigentes são elementos básicos na formação do fenômeno esportivo, mas é necesário formar um campo para reflexão sobre este fenômeno e possível modificação de alguns valores que o clasificam como algo acabado e não sijeito a modificações.
Este espaço ou campo de análise possibilitará a criação de uma nova conceituação do esporte, um esporte que pode ser criado e refletido e que principalmente pode contribuir com a formação e educação de nossas crianças e adolescentes.

 Referências bibliográficas

Bracht, Valter. Educação Física e Aprendizagem social. Porto Alegre, Magister, 1992.
Colégio Brasileiro de  Ciência do Esporte - CBCE (org.): Educação Física Escolar Frente a LDB e aos PCNs: Profissionais amalisando renovações, modismos e interreses. Rio Grande do Sul. Sedigraf, 1997.
Coletivos de autores: Metodologia do Ensino da Educação Física. São Paulo. Cortes, 1992.
Dorin, Lannoy. Psicologia da Criança. São Paulo. Editora do Brasil S.A., 1975
Faria Junior, Alfredo Gomes de . Produção Científica em Educação Física (1973-1988): Disserttações de Mestrado. Rio de Janeiro. UERJ, 1989.
Fazenda, Ivani (org,) Metodologia da Pesquisa Educacional. São Paulo. Cortes, 1989.
Grupo de  trabalho pedagógico UFP e - UFSM. Visão Didática da Educação Física: Análises Críticas e Exemplos Práticos de Aula. Rio de Janeiro. Ao Livro Técnico, 1991.
Koening, Samuel. Elementos da Sociologia. Rio de Janeiro. Editora Guanabara, 1998.
Oliveira, Vitor Marinho de . O que é Educação Física. São Paulo.Editora Brasiliense S. A., 1983.
Pereira, Flávio Medeiros. Dialética da Cultura Física. São Paulo. Ícone, 1988.
Verenguer, Rita de Cássia Garcia. Sobre a Premência do Estudo do Fenômeno Esporte. Revista Paulista de Educação Física. São Paulo, v. 3 (5). p. 83 - 86, 1989.
Werneck Christiane Luce Gomes. A Criança e o Esporte: O Lúdico como Proposta. Revista Brasileira de Ciências do Esporte.

 

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.