A Influência da Escolaridade no Uso de Suplementos Alimentares

Por: Mara Cléia Trevisan e Marina Destéfano Prezotto.

Arquivos de Ciências do Esporte - v.6 - n.4 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Este estudo teve como objetivo comparar o uso de suplementos alimentares entre indivíduos com alta e baixa escolaridade os quais são praticantes de atividade física em academias de Uberaba-MG. A amostra foi composta por 660 pessoas, com idade acima de 18 anos de ambos os gêneros. Foi utilizado questionário autoaplicável, padronizado, de múltipla escolha, previamente testado. Para análise dos dados foi utilizada a estatística descritiva e o teste Qui-quadrado, por meio do Software SPSS 17 com p-Valor<0,05. É expressiva a prevalência de uso de suplementos alimentares, 317 (48%), principalmente entre os indivíduos com alta escolaridade 234 (35,5%). Não houve diferença estatística entre o uso de suplementos nos diferentes níveis de escolaridade, entretanto entre os que utilizam, os com alta escolaridade em sua maioria 61 (9,2%) fazem uso de 2 suplementos, enquanto os com baixa escolaridade em sua maioria 66 (10%), utilizam apenas 1 tipo de suplemento.  Os indivíduos com alta escolaridade consomem preferencialmente mais de um tipo de suplemento 161 (50,7%), sendo os ricos em proteínas 35 (11%), anabolizantes 9 (2,8%) os mais consumidos. Já entre os indivíduos com baixa escolaridade se destacam entre os mais consumidos, os ricos em proteínas 18 (5,6%) e BCAA 4 (1,2%). Sendo assim, o nível de escolaridade não interfere no uso de suplementos alimentares por praticantes de atividade física em academias, porém o uso de suplementos é expressivo nesta população.

Referências

Pereira RF, Lajolo FM, Hirschbruch MD. Consumo de suplementos por alunos de academias de ginástica em São Paulo. Rev Nutr. 2003. 16(3): 265-272.

Antunes, AC. Perfil profissional de instrutores de academias de ginástica e musculação. Ver Dig. 2003. 9(60): 132-140.

Fayh et al. Consumo de suplementos nutricionais por frequentadores de academias da cidade de Porto Alegre. Rev Bras Ciênc Esporte. 2013. 35(1): 27-37.

Alves C, Lima RVB. Uso de suplementos alimentares por adolescentes. J Pediatr. 2009. 85(4): 287-294.

Bucci LR. Select herbal sand human exercise performance. Am J Clin Nutr. 2002. 72(2): 624S-636S.

Ortega J O. Sports nutrition. Int J Athletic Therapy Training. 2004. 9(5): 68-70.

Williams MH. Dietary supplements and sports performance: aminoacids. J Int Society of Sports Nutr.2005. 2(2): 63-67.

MinistériodaSaúde.Secretaria daVigilânciaSanitária.Portaria n.222de 24demarçode1998.Regulamento técnicoparafixaçãodeIdentidadee características mínimas dequalidade quedeverãoobedecerosalimentospara praticantes deatividadefísica.DiárioOficialdaUniãode 24demarçode1998. Brasília. 1998.

Morrison LJ,Gizis F, Shorter B. Prevalent use of dietary supplements among people who exercise at a commercial gym. Int J of Sport Nutrition & Exercise Metabolism. 2004. 14(4): 481-492.

Gomes GS, Degiovanni GC, Garlipp MR, Chiarello PG, Jordão AA. Caracterização do consumo de suplementos nutricionais em praticantes de atividade física em academias. Medicina (Ribeirão Preto). 2008. 41(3): 327-331.

Melethil S.Proposedrule:currentgoodmanufacturingpracticeinmanufacturing, packing,orholdingdietaryingredients and dietarysupplements.Life Science. 2006. 78(18); 2049-2053.

KirkSFL.et al. Diet and lifestyle characteristics associated with dietary supplement use in women. Public Health Nutrition, Wallingford 1998. 2(1): 69-73.

Alves ICB.Variáveis significativas na avaliação da inteligência. Psicol Esc Educ. 1998. 2(2): 109-114.

Santos RP, Santos MAA. Uso de suplementos alimentares como forma de melhorar a performance nos programas de atividade física em academias de ginástica. Rev Paul Educ Fís. 2002. 16(2): 174-185.

Frizon F, Macedo SMD. Uso de esteróides andrógenos anabólicos por praticantes de atividade física das principais academias de Erechim e Passo Fundo/RS. Rev Ciênc Farmacêutica Básica e Aplicada. 2005. 26(3): 227-232.

Hirschbruch MD, Fisberg M, Mochizuki L. Consumo de Suplementos por Jovens Frequentadores de Academias de Ginástica em São Paulo. Rev Bras Med Esporte. 2008. 14(6): 265-272.

Araújo ACM, Soares Y NG. Perfil de utilização de repositores proteicos nas academias de Belém, Para. Rev Nutr Camp. 12(8): 1-9.

Araújo LR, Andreolo J, Silva MS. Utilização de suplemento alimentar e anabolizantes por praticantes de musculação nas academias de Goiânia–GO. Rev Bras Ciênc Mov. 10(3): 13-18.

Moreira FP, Rodrigues KL. Conhecimento nutricional e suplementação alimentar por praticantes de exercício físico. Rev Bras Med Esp. 2014. 2(5): 370-373.

Duarte PSF et al. Aspectos gerais e indicadores estatísticos sobre o consumo de suplementos nutricionais em academias de ginástica. Rev Nutr Pauta. 2007. p. 27-31.

Duran ACFL, Latorre MRDO, Florindo A, Jaime PC. Correlação entre consumo alimentar e nível de atividade física habitual de praticantes de exercícios físicos em academia. Rev Bras Ciênc Mov.2004. 12(1): 15-29.

Silva LSMF, Moreau RLM. Uso de esteróides anabólicos androgênicos por praticantes de musculação de grandes academias da cidade de São Paulo. Rev Bras Ciênc Farmacia. 2003. 29(3): 27-32.

Iriart JAB, Chaves JC, Orleans RG. Culto ao corpo e uso de anabolizantes entre praticantes de musculação. Caderno de Saúde Pública. 2009. 25(4): 773-782.

Cerqueira, G. S. et al. Perfil do consumo de anabolizantes em praticantes de atividade física da cidade de João Pessoa. Rev Dig. 2010. 15(147).

Hallak A, Francini S, Peluzio MCG. Avaliação do consumo de suplementos nutricionais em academias da zona sul de Belo Horizonte – Minas Gerais. Rev Bras Nutr Esport. 2007. 1(2): 55-60.

Fleischer B, Read M. Food supplement usage by adolescent males. Adolesc. 1982. 17(8): 31-45.

Santos HVD, Oliveira CCP, Freitas AKC, Navarro AC. Consumo de suplementos alimentares por praticantes de exercício físico em academias de bairros nobres da cidade do Recife. Rev Bras Nutr Esport. 2013. 7(40): 204-211.

Alves SCR, Navarro F. O uso de suplementos alimentares por frequentadores de academias de Potim-SP. Rev Bras Nutr Esport. 2010. 4(20): 139-146.

Brito DS, Liberali R. Perfil do consumo de suplemento nutricional por praticantes de exercício físico nas academias da cidade de Vitória da Conquista-BA. Rev Bras Nutr Esport. 6(31): 66-75.

Schneider C, Machado C, Laska SM, Liberali R. Consumo de suplementos nutricionais por praticantes de exercício físico em academias de musculação de Balneário Camboriú – SC. Rev Brasil Nutr Esport. 2008. 2(11): 307-322.

Fontes, A. M. S. A., Navarro, F. Consumo de suplementos nutricionais por praticantes de atividades físicas em academias de Sete Lagoas – MG. Rev Bras Nutr Esportiva. 2010. 4(24): 515-523.

Endereço: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/aces/article/view/2383

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.