A Influência da Ginástica Laboral na Coordenação Motora Global e no Tempo de Reação de Condutores de Autocarro

Por: Daniela Lopes dos Santos, Juliana Izabel Katzer, Priscila Lopes Cardozo, Sara Teresinha Corazza Kroth e Stela Paula Mezzomo.

Motricidade - v.10 - n.4 - 2014

Send to Kindle


Resumo

Este estudo verificou o efeito da Ginástica Laboral (GL) nas capacidades percetivo-motoras, tempo de reação e coordenação motora global, de condutores de autocarro. Participaram 60 condutores, todos do sexo masculino com média de idade de 37.06 ± 7.66 anos. Os participantes foram divididos em dois grupos (G1 - experimental e G2 - controlo), sendo que o G1 foi submetido às sessões de GL duas a três vezes por semana, durante o período de um ano. A coordenação motora global foi avaliada pelo protocolo de BURPEE (Johnson & Nelson, 1979) e o tempo de reação através de um software com estímulo visual (Pereira, Dias, & Corazza, 2007). A normalidade dos dados foi analisada através do teste Shapiro-Wilk, o qual mostrou distribuição normal apenas para as variáveis tempo de reação simples (TRS) e tempo de reação de escolha (TRE) no G1. Sendo assim, utilizou-se o teste de Mann-Whitney para a comparação entre os grupos. Os resultados revelaram diferença estatisticamente significativa na coordenação motora global (z= −2.525, p= 0.012), evidenciando benefícios da ginástica laboral na melhoria dos elementos motores. Já para o TRS e TRE, e apesar de se observar melhores resultados após o programa, estes não foram estatisticamente significativos.

Endereço: http://revistas.rcaap.pt/motricidade/article/view/2896

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.