A Influência do Uso de Dicas de Aprendizagem na Percepção Corporal de Crianças Portadoras de Deficiência Motora

Por: Andrea Lucia Serio Bertoldi.

123 páginas. 2004 02/07/2004

Send to Kindle


Resumo

A autonomia para solucionar problemas através dos movimentos é uma necessidade diária de crianças portadoras de deficiência motora. Porém, o desenvolvimento inadequado da percepção corporal dificulta a resolução dos desafios motores enfrentados por essas crianças. Na tentativa de reverter esta situação, várias perspectivas conceituais vêm sendo desenvolvidas com a tendência comum do uso da abordagem de solução de problemas. A questão que surge está na dificuldade que as crianças apresentam no estabelecimento de estratégias de atenção para pontos críticos que permitam a solução desses problemas. Assim, este estudo teve por objetivo sistematizar e avaliar os resultados da aplicação de um procedimento denominado “pesquisa motora por problematização”, comparando sua eficiência com e sem o uso de estratégias cognitivas de direcionamento da atenção (dicas de aprendizagem) para fatores críticos do desenvolvimento da percepção corporal de crianças portadoras de deficiência motora. Participaram do estudo 22 crianças na faixa etária de 7 a 10 anos, de ambos os sexos, portadoras de deficiência motora. As 22 crianças foram aleatoriamente divididas em 2 grupos: CD (com dicas), que desenvolveu o procedimento 1 e o SD (sem dicas), o procedimento 2. Os procedimentos 1 e 2 foram aplicados em 4 sessões, com duração de 50 minutos cada e freqüência de 2 sessões semanais. As dicas utilizadas no procedimento 1 direcionavam a atenção das crianças para as seguintes partes do corpo: sessão 1: partes “do lado” (membros superiores), sessão 2: partes “de baixo” (membros inferiores), sessão 3: partes “de cima” (cabeça e face) e sessão 4: partes “do meio” (tronco). Foram realizados pré e pós-testes na semana anterior e posterior à aplicação do procedimento e testes de retenção após 1 mês com os seguintes instrumentos: “Teste de identificação das partes do corpo”, adaptado de FONSECA (1998), “Teste da percepção cinética” e “Teste da percepção crítica das partes do corpo”, desenvolvidos pelos pesquisadores. Paralelamente à aplicação destes testes, as crianças de ambos os grupos realizaram o “Teste do desenho do corpo” (CAMPOS, 1989) para complementar a análise dos dados. Os resultados da aplicação da análise de variância multivariada MANOVA e do teste de comparações múltiplas de Tukey demonstram que na variável de identificação das partes do corpo não houve diferenças entre os grupos, refletindo os altos escores obtidos pelos dois grupos no pré-teste desta variável. Já nas variáveis de percepção cinética e de percepção crítica das partes do corpo foram verificadas diferenças estatisticamente significativas (p<0.01) em todos os fatores: grupo, escore e interação entre grupo e escore. Estas diferenças ocorreram entre os pré-testes e os pós-testes e entre os pré-testes e a retenção. Na análise dos desenhos do corpo foi verificado um aumento expressivo na representação de pormenores anatômicos nos pós-testes e nos testes de retenção principalmente nos desenhos das crianças pertencentes ao grupo CD. Diante desses resultados concluímos que o uso de dicas influenciou diretamente a aquisição e a retenção da aprendizagem das variáveis desenvolvidos neste estudo, promovendo a percepção corporal de crianças portadoras de deficiência motora. 

Endereço: http://hdl.handle.net/1884/27902

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.