A Inteligência em Jogo no Contexto da Educação Física Escolar

Por: Adonis Marcos Lisboa e .

Motriz - v.11 - n.2 - 2005

Send to Kindle


Resumo

esta pesquisa tem por objetivo investigar a mobilização da inteligência em circunstâncias diversas, tanto em situações lúdicas como fora delas. Envolvemos sujeitos entre nove e 12 anos, alunos de Ensino Fundamental, que realizaram, em aula de Educação Física, duas versões da brincadeira Nunca Três. Em seguida tiveram que responder questões, com tempo ilimitado, sobre as atitudes dos jogadores durante a brincadeira. Isso foi comparado com uma situação em que respondiam perguntas sobre tabuada, em dois momentos: com tempo limitado a um segundo por pergunta e sem tempo limitado. Este estudo foi fundamentado, principalmente, na obra de Jean Piaget sobre epistemologia genética. Recorremos ao método de observação participante e análise de conteúdo, integrando-os a análises quantitativas. Os resultados obtidos levam-nos à suposição de que a inteligência é um atributo circunstancial, isto é, capaz de, alteradas as circunstâncias, promover adaptações incessantes, dentro de certos limites.

Endereço: http://www.rc.unesp.br/ib/efisica/motriz/11n2/13JBFa.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.