A Interdisciplinaridade da Educação Física e das Artes Plásticas: Um Trabalho Ilustrativo

Por: Márcia Maria Matsubara Silva Pinto.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Introdução:A Educação Física é uma disciplina "menor" nas escolas? A valoração
das disciplinas pode ser mais eqüitativa? Este relato de caso demonstra a proficuidade
do ensino interdisciplinar, onde todos os saberes são importantes. Não se sucedem
sem conexões, pois o educando seria só um receptáculo de informações, acrítico e
dependente. Quando os conteúdos são significativos para o aluno, a aprendizagem
tem maior probabilidade de ser efetiva, pois o conhecimento passa a ter sentido. A
organização interdisciplinar possibilitou esta significação. Material e Métodos: Em
2003, 25 crianças de 4 anos de idade, pré-escolares, desenvolveram atividades dentro
da proposta interdisciplinar. Um dos temas desenvolvidos foi a compreensão da
Imagem Corporal, tanto a de si mesmo como a de outros, bem como as características
e possibilidades que este conhecimento proporciona. Para viabilizar a apresentação
deste trabalho, será ilustrada apenas a ação dos professores de Educação Física e de
Artes Plásticas. Estes elaboraram as 10 sessões dedicadas ao tema. As atividades
solicitavam tanto materiais mais característicos da Educação Física, como bolas de
meia e arcos, como materiais "próprios" das Artes Plásticas: giz, argila etc. As
estratégias utilizadas por ambos os professores foram a de exploração inicial, seguida
de descoberta orientada. Resultado: O tema Imagem Corporal, comum à Educação
Física como às Artes Plásticas, foi trabalhado com as mesmas estratégias e atenderam
aos objetivos específicos de cada disciplina. A observação sistemática e os registros
feitos pelos professores documentam que as crianças envolvidas, conseguiram
identificar os segmentos de seu próprio corpo e as possibilidades motoras destes,
assim como reconhecê-los em seus pares (objetivos da Educação Física). Estas
crianças também foram capazes de representar seu próprio corpo e os de outras
pessoas, detalhando-os com os segmentos que os compõe, expressando a
internalização deste conhecimento através da linguagem plástica como o desenho e
a modelagem (objetivos das Artes Plásticas). Conclusões: O trabalho interdisciplinar
é antagônico ao conhecimento compartimentalizado. O entendimento do aluno
como um Ser Humano com sua integralidade e portanto, com suas idiossincrasias,
possibilitou aos alunos serem agentes ativos de sua aprendizagem. Uma condição
imprescindível para a aprendizagem ser efetiva.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/71_Anais_349.pdf

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.