A Introdução do Karate-do Shotokan no Rio Grande do Sul: Memórias do Sensei Watanabe

Por: Alfredo Fernando Aires de Los Santos, Hannah Aires, e Josiana Ayala Ledur.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.25 - n.1 - 2017

Send to Kindle


Resumo

Este estudo objetivou investigar como ocorreu a introdução do Karate-Do Shotokan no estado do Rio Grande do Sul, por meio da reconstrução das memórias do sensei Luiz Tasuke Watanabe. Tendo como perspectiva teórico-metodológica a História Oral recuperou-se as memórias deste sensei, que foi um dos precursores do estilo Shotokan de Karate-Do no estado. Para tanto, foi gravada e transcrita uma entrevista com o sensei Watanabe. Além desta fonte oral, também foram analisadas fontes documentais, bem como, realizada a revisão bibliográfica sobre o assunto. As análises empreendidas nas fontes acessadas revelaram que Watanabe, ainda criança, emigrou do Japão para o Brasil com sua família e teve sua iniciação no Karate-Do por intermédio de seu irmão, que havia sido praticante no Japão. A prática do Karate-Do intensificou-se quando prestou o serviço militar ao ser aluno do sensei Yasutaka Tanaka, que ministrava aulas no exército. Posteriormente, em 1970, a convite do professor Teruo Obata, Watanabe foi designado para dar aulas em Porto Alegre, onde atuou em diversas localidades, colaborando mais tarde para a criação do Departamento de Karate da Federação de Pugilismo do Rio Grande do Sul. Watanabe, na época, atuava como professor, mas também participou de competições. No ano de 1972, conquistou o primeiro lugar no Campeonato Mundial de Karate e alcançou destaque a nível nacional, contribuindo para a divulgação desta prática. Após uma década na cidade, em 1981, Watanabe partiu de Porto Alegre por designação do exército, retornando a cidade somente 30 anos depois para ministrar um curso.

Endereço: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/6961

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.