A Linguagem Racista no Futebol Brasileiro

Por: .

Corpus Et Scientia - v.3 - n.1 - 2007

Send to Kindle


Resumo

Este ensaio é uma tentativa de redescrever e analisar o processo de construção das representações sociais em relação à inclusão e ascensão dos jogadores negros e mestiços no futebol brasileiro. A noção de habitus de Bourdieu é utilizada inicialmente para tentar compreender o processo de reprodução das representações sociais sobre o racismo, a partir da linguagem da mídia. Há, no entanto, necessidade dos conceitos de Abric, Coulon e Jodelet para fundamentar a análise. Conclui-se que a representação social sobre o racismo no futebol brasileiro sofreu transformações, sobretudo no sistema periférico, desde o início do século; entretanto, elementos do núcleo central anterior ainda estão presentes e se manifestam a partir do momento em que se comparam as críticas que se fazem aos jogadores brancos e as que se fazem aos negros e mestiços. As críticas dirigidas aos brancos focalizam principalmente o atleta, enquanto as que se dirigem aos negros e mestiços focalizam o indivíduo, no sentido de diminuí-lo como pessoa, ou seja, são críticas étnicas.

Endereço: http://apl.unisuam.edu.br/revistas/index.php/corpusetscientia/article/view/164/160

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.