Send to Kindle


Resumo

Após elogiar a tese núcleo do trabalho, os autores dizem que há uma tese-coda segundo a qual eu afirmaria que, por causa do "projeto nação", que marca as elaborações de Mário Filho, "todas as análises que lançam mão de seus dados como 'história' são necessariamente desacertadas ou falsas, isto é, mitos que em nada contribuem para o conhecimento científico". Embora as palavras tenham o poder de significar por si mesmas, tenho a convicção de que eu não afirIllo exatamente isso. Diria que eu afirmo que a) os autores que denomino "novos narradores" não usam a obra de Mário Filho como mais uma fonte que deve ser contrastada com outras; b) tomam as análises empíricas de Mário Filho como evidências que não são submetidas a críticas, ainda quando o próprio autor relativiza sua versão dos fatos; c) o uso de OUTras fontes, jornais, por exemplo, coloca em questão a "veracidade" de alguns dos fatos descritos por Mário Filho e reiterados pelos "novos narradores" sem modificações significativas e d) os "novos narradores" enfatizam, como tendência, nos casos contados por Mário Filho, a dimensão da segregação racista quando o autor dirige sua argumentação para a in tegração racial.


 

Endereço: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2091/1230

Ver Arquivo (PDF)

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.