A Música nas Aulas de Body Combat Melhora o Estado de ânimo de Adolescentes

Por: Arturo Alejandro Zavala Zavala, Carlos Alexandre Fett, Graciele Gomes, Michelle Jalousie Kommers, Rosilene Andrade Silva Rodrigues e Waléria Christiane Rezende Fett.

Revista da Educação Física - UEM - v.30 - n.1 - 2019

Send to Kindle


Resumo

O objetivo é analisar o efeito da prática de aula sem música e com música do programa body combat™ sobre os estados de ânimo de 29 adolescentes, 18 do sexo feminino e 11 do sexo masculino, com faixa etária de 12 a 15 anos. Foi utilizado o questionário Lista de Estados de Ânimo-Reduzida e Ilustrada (LEA-RI) composto por 14 adjetivos (7 variáveis positivas e 7 negativas), aplicado antes e depois das aulas de body combat™, na primeira semana sem música, e na segunda semana com música. Utilizou-se teste de Shapiro-Wilk, de McNemar e teste χ² para verificar a associação das variáveis com significância de p< 0,05, isto é, a 10%, 5% e 1%, com intervalo de confiança de 90, 95 e 99%, respectivamente. Na aula com música os sentimentos positivos: “feliz/alegre” (p=0,0001), “espiritual” (p<0,001), “ativo/energético” (p=0,0263), “leve” (p<0,001), aumentaram. Nas variáveis dos sentimentos negativos: “triste” (p=0,0008), “desagradável” (p=0,0013), “tímido” (p=0,0001) e “com medo” (0,0001), diminuíram. Nas aulas com e sem música o adjetivo “cansado” (p=0,0001) e (p=0,0020) aumentou respectivamente. Constatou-se que o body combat™, aplicado com música, aumentou significativamente os sentimentos positivos e redução dos negativos, sendo recurso motivacional para a adesão ao exercício físico.

Endereço: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/41057

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.