A Natação no Deslizar Aquatico da Corporeidade

Por: Maria Cecília Lieth Machado Bonacelli.

2004 17/02/2004

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo tem como pressuposto básico apontar para uma discussão a respeito de como vem sendo abordada a disciplina Natação, nos cursos de graduação em Educação Física. A pesquisa é aqui apresentada em 5 capítulos. No primeiro capítulo, procuramos fazer crítica ao paradigma cartesiano sobre a construção do conhecimento, com base nos aspectos filogenéticos e ontogenéticos do desenvolvimento humano, relacionados às questões da água. Compreendemos os limites que devem regular os avanços da biotecnologia nas várias formas de manipulação dos corpos, tentando superar a dicotomia existente entre corpo/espírito, sujeito/objeto, na visão de corpo virtual para Pierre Lévy (1998). Buscamos, também, entender, como se da o processo do conhecimento na visão da complexidade de Edgar Morin (1999), tendo como propósito básico, o sensível. No segundo capítulo, temos como objetivo, buscar nos pensamentos do filósofo Maurice Merleau-Ponty (1996), contribuições para o conceito de corpo fundadas na corporeidade, quando o corpo é visto como essência do sujeito e do conhecimento. Nos pensamentos do filósofo e poeta Gaston Bachelard (1978), tecemos uma visão diferenciada para o conceito de estética, não apenas como apreciação do belo, mas uma visão voltada para a questão do sensível. No terceiro capítulo fazemos um relato cronológico da natação, apresentamos alguns métodos de aprendizagem e expomos uma proposta teórico-metodológica, em que se desenvolvam as habilidades da natação, tendo como pressuposto o conceito de corporeidade expresso por Merleau-Ponty (1996). No quarto capítulo, fazemos uma pesquisa a partir da abordagem Análise de Avaliação Assertativa, contida na Análise de Conteúdo de Laurence Bardin (1977), mais precisamente por meio de uma adaptação, conforme Simões (1994). Objetivamos, compreender o desenvolvimento da disciplina Natação nos cursos de graduação em Educação Física. Para a pesquisa, foram selecionados professores que ministram tal disciplina em Universidades localizadas num raio de até 100 km da cidade de Piracicaba, sendo três universidades públicas e três universidades particulares. Por último, apresentamos as seguintes considerações: - A maioria dos professores que ministram a disciplina Natação, nos cursos de graduação em Educação Física, ainda não tem um conceito formado sobre o termo corporeidade. O corpo humano, muitas vezes, ainda é comparado a um objeto. - Metade dos professores, afirmou abordar o termo corporeidade nas suas aulas práticas, ao fazerem os alunos sentirem o contato do corpo com a água, e mais da metade dos professores afirmou abordar o termo corporeidade nas suas aulas teóricas. - A maioria dos professores afirmou trabalhar a natação de forma articulada com outras disciplinas. – Da mesma forma, a maioria dos professores afirmou não trabalhar com uma metodologia específica.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000316341&opt=1

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.