A Natureza é a Igreja de Satã: e o Feminino Que nos Olha Por Entre no Filme Anticristo de Lars Von Trier

Por: Adriano Denovac.

Cinema e Corpo.

Send to Kindle


Resumo

“A natureza é a Igreja de Satã”. Esta frase, junto com a profusão de imagens do filme de Trier1 , apresenta uma possibilidade de pensar o feminino, a Idade Média, emoções que remetam a esse tempo histórico e sua possível influência, nas relações da sociedade ocidental no tempo presente2 . A frase expressa pela personagem feminina, evoca o medievo, na medida em que pode nos fazer pensar em profanação, em inferno, desordem, em uma natureza gerada por um ser maligno, no corpo feminino como expressão física desse mal, como heresia. 

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2017 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.