A Organização do Trabalho Pedagógico da Educação Física na Escola Capitalista

Por: Giovanni Felipe Ernst Frizzo.

264 páginas. 2012 25/09/2012

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo trata da organização do trabalho pedagógico da educação física na escola capitalista, tendo por objetivo descrever e analisar o trabalho pedagógico da educação física desenvolvido na Rede Municipal de Ensino de Nova Santa Rita-RS (RMENSR). Como método e teoria do conhecimento que fundamentam esta investigação, recorremos ao materialismo histórico dialético para a análise e síntese do fenômeno investigado e na delimitação de nosso objeto de estudo. Trabalhamos com as categorias dialéticas da totalidade, mediação e contradição para compreender o movimento do real articuladas às categorias científicas e empíricas que se originaram no trabalho de campo, em que fizemos uso de técnicas de análise de documentos, observação participante, entrevistas com o professorado de educação física e realização de um questionário junto ao alunado da RMENSR. Tais foram orientadas pelo problema de investigação que apresentamos na seguinte pergunta científica: “como se organiza o trabalho pedagógico e o trato com o conhecimento da educação física na escola capitalista e que relações estabelecem com o desenvolvimento das forças destrutivas do sistema do capital na atualidade?”. As categorias empíricas que emergiram do trabalho de campo foram sistematizadas em: condições de trabalho na RMENSR; liberdade, autonomia e cidadania na escola capitalista; conteúdos escolares e método pedagógico; jogos escolares. No plano mais geral de análise da escola capitalista e da organização do trabalho pedagógico da educação física, identificamos elementos que compõem este modelo de educação escolarizada da atualidade, onde o projeto histórico, a teoria educacional e a teoria pedagógica alicerçam as bases constituintes da educação orientada pela lógica de mercado e da formação escolar baseada na empregabilidade e no disciplinamento, mecanismos “necessários” para a formação da juventude no atual período de crise estrutural do capital e a produção destrutiva da humanidade. A proposição de estudar a organização do trabalho pedagógico se manifesta em decorrência de que entendemos que a atividade humana produtiva dos sujeitos da escola é trabalho e não somente algum tipo de prática (prática pedagógica, prática docente etc), além do que, entendemos que os sujeitos que compõem a escola não é somente o professorado, daí que não poderíamos limitar ao estudo do trabalho docente, pois este somente diz respeito ao trabalho do professorado, excluindo o alunado da análise da escola e da educação física. Identificamos que a principal categoria de análise da organização do trabalho pedagógico é o par dialético objetivos e avaliação, pois essa é quem direciona e controla a formação do alunado na escola, sendo determinante na relação entre os sujeitos (alunado e professorado) e o conhecimento. Na elaboração da teoria pedagógica decorrente deste estudo, afirmamos que os fundamentos da escola capitalista orientada pela pedagogia das competências e da internalização de valores como disciplinamento não representam a necessidade histórica de educação da classe trabalhadora.

Endereço: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/60392

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.