A Política Pública dos Jardins de Recreio Como Espaço Civilizador no Contexto Urbano de Porto Alegre (1920-1950)

Por: Fabiana Gazzotti Mayboroda e Luciane Sgarbi Santos Grazziotin.

Revista História da Educação - v.23 - 2019

Send to Kindle


Resumo

Este estudo diz respeito aos Jardins de Recreio, uma política pública instituída na cidade de Porto Alegre/RS a partir dos anos 1920. Objetiva compreender suas condições de implementação e suas interfaces com o processo educacional. Fundamenta-se na análise documental histórica, que possibilita compreender as condições de instauração e funcionamento dos Jardins de Recreio, sua característica educadora e sua relação com a urbanidade. Percebe-se que os Jardins de Recreio constituíram-se em espaços de sociabilidade e lazer dos portoalegrenses, para além de uma intenção pedagógica fomentada pelas modificações urbanas, pelo discurso higienista e civilizatório deflagrado pela modernidade. 

Referências

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

CHALHOUB, Sidney. Cidade fabril: cortiços e epidemias na corte imperial. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

CUNHA, Maria Luisa Oliveira da; MAZO, Janice Zarpellon. A criação dos clubs nas praças públicas da cidade de Porto Alegre (1920-1940). Revista Brasileira de Ciência e Esporte, Florianópolis, v. 32, n. 2-4, p. 123-139, 2010.

CUNHA, Maria Luisa Oliveira da; MAZO, Janice Zarpellon; STIGGER, Marco Paulo. A organização das praças de Desporto/Educação Física na cidade de Porto Alegre (1920-1940). Revista Licere, Belo Horizonte, v. 13, n. 1, p. 1-33, 2010.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador II: formação do estado e civilização. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

FARGE, Arlette. O sabor do arquivo. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.

FEIX, Eneida. A dimensão lúdica do esporte: as praças e parques, os jardins de recreio e colônia de férias. In: GOELLNER, Silvana Vilodre; MÜHLEN, Johanna Coelho Von. Memórias do esporte e do lazer no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: FUNDERGS, 2013.

FEIX, Eneida; GOELLNER, Silvana Vilodre. O florescimento dos espaços públicos de lazer e de recreação em Porto Alegre e o protagonismo de Frederico Guilherme Gaelzer. Revista Licere, Belo Horizonte, v. 11, n. 3, 2008.

GHIRALDELLI JÚNIOR, Paulo. Educação Física Progressista: a pedagogia crítico-social dos conteúdos e a Educação Física brasileira. São Paulo: Loyola, 1989.

GOELLNER, Silvana Vilodre; MACEDO, Christiane Garcia; SILVA, Carina Kaiser da. Repositório Digital do Centro de Memória do Esporte: notas sobre a coleção lazer e recreação. Revista Licere, Belo Horizonte, v.16, n.1, 2013.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.

HUNT, Lynn. A nova história cultural. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

LOURENÇO FILHO, Manuel Bergström. Introdução ao estudo da Escola Nova. 13 ed. São Paulo: Melhoramentos, 1978.

MARCELLINO, Nelson Carvalho. Estudos do lazer. Campinas: Autores Associados, 1996.

PECHMAN, Robert Moses. O urbano fora de lugar? Transferências e traduções das ideias urbanísticas nos anos 20. In: RIBEIRO, Luiz César de Queiroz (org.). Cidade, povo e nação. Gênese do urbanismo moderno. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996.

PEIXOTO, Elza Margarida de Mendonça; PEREIRA, Maria de Fátima Rodrigues. Políticas de educação não formal – a recreação (1889-1961). Revista HISTEDBR, Campinas, n. 55, p. 168-179, 2014.

PESAVENTO, Sandra Jatahi. O imaginário da cidade: visões literárias do urbano – Paris, Rio de Janeiro, Porto Alegre. Porto Alegre: UFRGS, 1999.

POPKEWITZ, Thomas. Ciências da educação, escolarização e abjeção: diferença e construção da desigualdade. Rev. Edu. Real., Porto Alegre, v. 35, n. 3, set./dez. 2010.

SOARES, Carmem L. Educação Física: raízes europeias e Brasil. Campinas: Autores Associados, 1994.

STEPHANOU, Maria. Bem viver em regras: urbanidade e civilidade em manuais de saúde. Rev. Educação Unisinos, v. 10, n. 1, 2006.

STEPHANOU, Maria. Práticas formativas da medicina: manuais de saúde e a formação para a urbanidade. Véritas, Porto Alegre, v. 43, n. especial, p. 97-102, dez. 1998.

STIGGER, Marco Paulo; TRENTINI, Edson Bertuol; FREITAS, Maitê Venuto de. Parques públicos, sociabilidades urbanas e políticas de lazer. In: FRAGA, Alex Branco; MAZO, Janice Zarpellon; STIGGER, Marco Paulo; GOELLNER, Silvana Vilodre. Políticas de lazer e saúde em espaços urbanos. Porto Alegre: Gênese Editora, 2009.

TOPALOV, Christian. Da questão social aos problemas urbanos: os reformadores e a população das metrópoles em princípios do século XX. In: RIBEIRO, Luiz Cesar de Queiroz; PECHMAN, Robert. Cidade, povo e nação: gênese do urbanismo moderno. Rio de Janeiro: Civilização Moderna, 1996.

Endereço: https://seer.ufrgs.br/asphe/article/view/77050

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.