A Pratica do Basquetebol Feminino no Estado de São Paulo: Conhecendo e Analisando Seu Contexto

Por: .

2006 22/02/2006

Send to Kindle


Resumo

Estudamos a realidade do basquetebol feminino a partir dos 68º Jogos Abertos do Interior que se realizaram na cidade de Barretos ? SP, no período de 13 a 26 de setembro de 2004. Tal evento reuniu as equipes femininas de todo o Estado de São Paulo e se constituiu em amostra para este estudo, que teve como objetivo geral identificar e diagnosticar a prática do basquetebol por mulheres no Estado de São Paulo, junto a um número significativo de atletas pertencentes às trinta e uma diferentes equipes representativas de cidades do interior desse Estado, totalizando cento e vinte e nove participantes. Os objetivos específicos deste trabalho foram os de identificar a disseminação ou não da prática do basquetebol por mulheres e o papel das instituições sociais responsáveis. Tivemos como hipótese, que havia uma rudimentaridade no desenvolvimento da prática, relacionada com a falta de conhecimento sobre o basquetebol por parte dos agentes socioculturais responsáveis pela disseminação; atrelamento da prática à vertente esporte rendimento ou espetáculo; dificuldade de desenvolvimento do basquetebol feminino, por partir-se de um modelo inicial masculinizado de prática e por políticas públicas e privadas insuficientes. As metodologias e pedagogias utilizadas por técnicos e professores nos vários setores foram determinantes para a compreensão da problemática estudada. Abordamos também as políticas públicas e privadas de esporte. Realizamos uma pesquisa bibliográfica sobre a gênese e desenvolvimento do esporte moderno, compreendendo-o como um fenômeno sociocultural de interesse e prática mundial, com alcance educacional. Buscamos dados sobre a origem e expansão do basquetebol no mundo e no Brasil, nos aprofundando principalmente no Estado de São Paulo, procurando contextualizar o objeto. Em pesquisa de campo, levantamos dados com as atletas praticantes de basquetebol no ano de 2004, durante a realização dos 68º Jogos Abertos do Interior do Estado de São Paulo. Coletamos informações sobre as atletas, à vinculação que possuíram ao iniciar a prática e no momento da realização da pesquisa. Também foram obtidos dados sobre as motivações, desmotivações, interesses e ou desinteresses das praticantes. Tratou-se de uma pesquisa com abordagem crítico-dialética, em que o homem foi visto como agente histórico e transformador, situado politicamente, com interesse pela compreensão e explicação dos fenômenos humanos e sociais, por mais de um ângulo de visão, resgatando a dimensão histórica do problema estudado. Realizamos pesquisas bibliográfica e documental, com abordagem quantitativa e qualitativa, na qual optamos pela utilização de questionário semi-estruturado aplicado às atletas. Os resultados alcançados mostraram que o basquetebol feminino no Estado de São Paulo tem possibilidades de ser potencializado, atingindo maior número de cidadãs de todas as faixas etárias e condições sócio econômicas e culturais, através de políticas públicas e privadas com este fim, já que observamos que as atuais formas de organização não colaboraram suficientemente para que houvesse a disseminação e expansão da cultura da prática, sobretudo, na categoria adulta. Também constatamos que aspectos políticos de várias ordens, reveladores das relações de poder exercidas socialmente influenciaram negativamente a continuidade de projetos e programas esportivos que incluíam o basquetebol, tanto no setor público quanto no privado 

Endereço: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000385225&opt=1

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.