A Prática Pedagógica da Educação Física Escolar no Currículo Organizado Por Ciclos na Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre – Um Estudo Etnográfico.

Por: Maria Cecília Camargo Günther.

58 Reunião Anual da SBPC

Send to Kindle


Introdução:

O presente texto é a síntese de uma investigação realizada em quatro escolas de ensino fundamental da rede municipal de ensino de porto alegre (rme/poa), através da qual buscamos compreender o processo de implantação do currículo organizado por ciclos e seus efeitos sobre a prática pedagógica da educação física (ef) considerando-se as tensões e reflexões imanentes ao fazer docente dos professores pesquisados.

A expressão das representações desses professores acerca do currículo organizado por ciclos e de sua prática pedagógica e conseqüente análise/interpretação das mesmas constitui uma possível contribuição para alimentar os debates em torno do processo de inovações desencadeado na rme/poa através da reestruturação curricular oferecendo subsídios para discussões e ações de ajuste/consolidação desse mesmo processo.

Esse trabalho integra um conjunto de investigações que vem sendo desenvolvidas pelo grupo de estudos qualitativos em formação de professores e prática pedagógica em educação física e ciências do esporte (f3p-efice) e que abordam diferentes aspectos das inovações que vem ocorrendo na rme/poa nos últimos anos. Ao nos debruçarmos sobre acontecimentos específicos desse contexto, buscamos uma compreensão de alguns fenômenos educativos na contemporaneidade e, portanto, submetidos a determinadas condições da própria rme/poa, mas também externas a ela.



Metodologia:

Optamos pela metodologia de corte qualitativo, especificamente por um estudo etnográfico em quatro escolas da rme/poa, com um grupo de colaboradores constituído de dezesseis professores de ef. O processo constitui-se de: revisão bibliográfica, trabalho de campo, acompanhado por análise documental de materiais da secretária municipal de educação de porto alegre e das escolas investigadas. Adotamos o uso de: diário de campo, observação participante e entrevista semi-estruturada.

Na fundamentação teórica abordamos educação e currículo na contemporaneidade, a constituição do currículo organizado por ciclos e sua estruturação na rme/poa, prática pedagógica da ef escolar e constituição do conhecimento dos professores. Como referencial teórico para as análises e interpretações dos achados de campo recorremos a teoria das representações sociais como suporte para a compreensão dos significados e conhecimentos elaborados pelos professores a partir de suas próprias práticas pedagógicas considerando-se as condições nas quais elas se concretizam. Desse modo, optamos por um referencial teórico que nos oferece elementos para a compreensão da elaboração das inovações propostas pelo processo de reestruturação curricular por parte dos professores e que tipo de impacto podem ter tido sobre a prática cotidiana da ef escolar nas escolas investigadas.


 Resultados:

O processo de análise nos permitiu compreender as múltiplas representações que vem sendo construídas em torno do currículo organizado por ciclos nos diferentes contextos das escolas investigadas e que constituem conhecimentos forjados na vivência e elaboração das inovações propostas. Do mesmo modo, emergiram representações da ef escolar que indicam um processo de ressignificação desse componente curricular e de sua posição no currículo escolar tanto por parte dos próprios professores investigados como do coletivo da escola, ainda que não seja de modo consensual.

A avaliação emergiu como um dos aspectos mobilizadores na constituição da prática pedagógica da ef no currículo organizado por ciclos, exigindo dos professores um novo olhar sobre seus alunos, assim como uma visão mais ampliada e flexível com relação ao planejamento.

O caráter transdiciplinar da ef, ressaltado por alguns colaboradores, representa um aspecto favorável à constituição de novas formas de organização dos tempos e espaços pedagógicos no currículo escolar, mas que tem sido aproveitado de forma limitada, o que pode avançar mediante a qualificação e sistematização de momentos de reflexão coletiva sobre as próprias práticas pedagógicas.

O processo de investigação, através da presença de pesquisadores na escola também aparece como um elemento de desacomodação para alguns professores resultando em um processo de problematização e reflexão sobre suas próprias práticas e condições nas quais se desenvolvem.

Conclusões:

Os achados resultantes dessa investigação apontam para uma alternância de avanços e permanências nas práticas pedagógicas dos professores de ef pesquisados ao longo do processo de implantação do currículo organizado por ciclos. Um conjunto de ações formativas que integraram um processo mais amplo de inovações estabelecidas na rme/poa ao longo dos últimos anos contribuiu para desencadear questionamentos desses professores em relação às suas práticas em relação ao contexto onde atuam.

É preciso considerar, ainda, a trajetória docente de cada um desses professores de modo a compreender os atravessamentos de diferentes aspectos profissionais e pessoais que integram as representações desses professores sobre a prática pedagógica da ef no currículo organizado por ciclos, em um movimento entre o coletivo e o subjetivo de cada um.

O processo investigativo, através de momentos sistematizados de devolução e discussão das interpretações por nós elaboradas com os professores pesquisados, apresenta-se como uma alternativa para um processo formativo no qual, pesquisadores/pesquisados, em relação dialógica, podem refletir sobre suas práticas, analisar seus significados e identificar possíveis caminhos de transformação. As considerações que emergem desse processo oferecem alguns indicativos de pautas de estudo/pesquisa que podem vir a integrar o processo formativo de futuros professores de ef, em uma relação de diálogo mais próximo e permanente entre universidade e escolas.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.