A Práxis Docente e Motricidade Humana: ,percepções, Significados e Intencionalidades de Professores Mestres em Ciência da Motricidade Humana, Docentes do Curso de Graduação em Educação Física da Universidade Castelo Branco

Por: Liliana Lúcia da Silveira Barbosa.

120 páginas. 2003

Send to Kindle


Resumo

Inserido no Construto Epistemológico Etnográfico ou de Compreensão Fenomenológica do Homem e de suas Condutas e Comportamentos Motores, no eixo temático Aspectos Sócio-Histórico da Motricidade Humana, na área temática Aspectos Pedagógicas da Motricidade Humana e na linha de pesquisa Avaliação de Condutas Motoras em Sistemas Educacionais, o estudo partiu da situação vivenciada pelos professores-mestres pelo Programa de Pós~Graduação em Ciência da Motricidade Humana (PROCIMH) que lecionam no curso de graduação em Educação Física da Universidade Castelo Branco (UCB), marcados pelo dualismo tecnicista numa área onde trabalha o corpo "por inteiro", tendo como problemática: Será que a apropriação dos conhecimentos e valores contidos no construto epistemológico do Mestrado em Ciência da Motricidade Humana da UCB é percebida através das condutas motoras destes professores? Adotamos como objetivo geral compreender a significação e intencionalidade da práxis pedagógica dos mestres em Ciência da Motricidade Humana (CMH); integrando os seguintes objetivos específicos: estabelecer a compreensão axiológica do objeto teórico formal; identificar e analisar, através de uma compreensão fenomenológica os indicadores que caracterizem as condutas motoras expressas pela práxis pedagógica, tendo como base os princípios que norteiam a ação pedagógica da motricidade humana, segundo Feitosa e por último elaborar a ordenação axiológica da conduta motora docente na busca da significação do papel do profissional de Educação Física. Iniciamos pelo estudo epistemológico da motricidade humana tendo como arcabouço inicial as teorias de Santos,B. (1999), Gamboa (1995). Ancoramos numa abordagem filosófica do Ser do Homem. com a qual alguns autores ajudaram na iluminação do objeto teórico e formal de estudo, como Assmann ( 1986, 1994, 1996, 1998), Beresford, ( 1997, 2000, 2001) Cunha, M.S. ( 1994, 1999) Heidegger ( 2001), Mondin ( 1998) e Merleau-Ponty(1994). Analisamos também o marco teórico e as bases filosóficas do curso de Educação Fisica, relacionando-o com o construto epistemológico do mestrado. Buscamos os aspectos pedagógicos da motricidade humana, fundamentados no estudo de Feitosa ( 1993) e Assmann (1994, 1996, 1998), os princípios norteadores da ação pedagógica da motricidade humana e reivindicando uma educação prazerosa e criativa. Partindo de uma pesquisa fenomenológica e com as contribuições de Reale (1994) elaboramos a compreensão axiológica do ente tomado como objeto de estudo, buscando a estrutura e a essência própria desse ente, numa perspectiva de espaço e tempo. Identificamos as carências imediatas através dos aspectos genótipos e as mediatas. através dos aspectos fenótipos, concluindo com a ordenação axiológica, necessária para consecução dos objetivos da investigação. Concluímos que nem todos os professores envolvidos na pesquisa apresentaram de acordo com os princípios pedagógicos Estabelecidos por Feitosa (1993). Todos os entrevistados priorizaram o conhecimento como alavanca para a competência do profissional e procuraram transmitir esse saber sistematizado levando em conta as . necessidades e carências de seus alunos. Apesar da fala bem racionalista de algunsevidenciaram a preocupação com o humano. No sentido de contribuir para o estabelecimento mais significativo dos conceitos que regem a motricidade, estabelecemos algumas propostas para assentar a CMH, como área de conhecimento que na interdisciplinaridade permeie toda e qualquer área, não só a Educação Física.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=2379&listaDetalhes%5B%5D=2379&processar=Processar

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.