A Sensibilidade na Reeducação do Controle Motor do Membro Superior Hemiplégico

Por: Andréa C. H. Carlos, Francisco R. L. V. de Melo, Leonardo C. Lucena e Têmis S. Viana.

VII Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

No processo de recuperação do hemiplégico, destaca-se o retorno da função do membro superior onde vários fatores podem interferir no processo de aprendizagem e controle motor, principalmente o comprometimento sensorial. Diante do exposto, surgiu a necessidade de pesquisar a relação existente entre a sensibilidade e o controle motor na recuperação de pacientes hemiplégicos. O estudo realizado foi descritivo do tipo estudo de caso, considerando-se aspectos quantitativos e qualitativos dos dados obtidos a partir da aplicação periódica do protocolo de Fugl-Meyer no período de abril de 1998 a abril de 1999. A amostra constituiu-se de 5 hemiplégicos. Dentre os pacientes avaliados inicialmente, 4 obtiveram a pontuação máxima (10 pontos) para a sensibilidade dos quais evoluíram de uma plegia para um grau satisfatório de recuperação do controle motor. No entanto, o que obteve pontuação mínima (zero) na 1a avaliação, permaneceu com o quadro de plegia do membro superior. Através dos resultados obtidos e relacionados aos achados na literatura concordamos com a afirmação de SWEDSON(1988) onde à medida que se dá a reorganização do SNC, isto facilita reaquisição e o reaprendizado da função perdida. De modo que, a reabilitação é um processo de aprendizagem e se um paciente é capaz de receber e de interpretar os estímulos aferentes sensoriais nas suas várias modadlidades, poderá reaprender seu controle motor sobre as funções perdidas.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.