A Síndrome de Burnout em Atletas de Futebol de Campo do Município de Castanhal

Por: A. K. S. Souza, Daniel Alvarez Pires e F. J. S. Souza.

XIV Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Objetivo:
Avaliar a frequência da síndrome de Burnout e suas subescalas em atletas de futebol de campo do sexo masculino do município de Castanhal, Estado do Pará, Brasil.

Métodos e Resultados:
A amostra foi composta por 18 atletas do sexo masculino com média de idade de 17,78 ± 1,73 anos, selecionada da categoria de base sub-20 de futebol do Castanhal Esporte Clube. O instrumento de pesquisa utilizado foi o Questionário de Burnout para Atletas (QBA), validado para o idioma português por Pires (2006). Para a análise dos dados, foi utilizado o cálculo da média e o desvio padrão dos escores obtidos para o Burnout total e para cada uma das três subescalas (dimensões), seguido da utilização da variação de frequência de sentimentos. Os resultados mostraram que os atletas obtiveram o mesmo valor médio de 2,2 tanto para o Burnout total quanto para as subescalas “Exaustão Física e Emocional” e “Desvalorização Esportiva”, Esse resultado representa um intervalo de frequência entre raramente e algumas vezes. A subescala “Reduzido Senso de Realização Esportiva” obteve valor médio de 2,1, permanecendo também no intervalo de frequência entre raramente e algumas vezes.

Conclusão:
Pode-se concluir que os atletas avaliados apresentaram valores baixos tanto para o Burnout total quanto para suas subescalas. Os reduzidos índices de sentimentos inerentes à síndrome são geralmente notados em atletas de modalidades coletivas, uma vez que esses esportes apresentam uma divisão de funções e tarefas entre os atletas, o que possibilita um maior número de relações interpessoais.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.