A Suplementação de L-arginina Promove Implicações Ergogênicas no Exercício Físico? Evidências e Considerações Metabólicas

Por: Humberto Nicastro, Marcelo Macedo Rogero e Murilo Dáttilo.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.16 - n.1 - 2008

Send to Kindle


Resumo

Um número crescente de pesquisas envolvendo a suplementação de aminoácidos isolados sobre o desempenho físico vem sendo realizado, mas os efeitos e os possíveis mecanismos de ação de muitos deles ainda permanecem inconclusivos. Destes, um aminoácido que vem sendo amplamente estudado, e que já faz parte da composição de inúmeros suplementos nutricionais, é a L-arginina pelo seu possível papel na estimulação da secreção do hormônio do crescimento (GH) e da insulina, além de ser um indutor da vasodilatação dependente de óxido nítrico (NO). Diversos estudos indicam que a suplementação de L-arginina pode estimular signifi cativa secreção do GH no repouso e, quando associada ao exercício, pode promover um feedback hipotalâmico negativo com conseqüente diminuição da secreção deste hormônio. A síntese protéica muscular tem sido associado à vasodilatação promovida pela L-arginina o que, em parte, pode ser considerado errôneo pelo fato desta isoladamente não aumentar a disponibilidade de substratos para recuperação muscular. Contudo, estudos que envolvem L-arginina e desempenho esportivo, bem como aqueles investigam dose e tempo de consumo desse aminoácido, são confl itantes e refl etem a escassez de trabalhos nesse contexto. A presente revisão descreve os aspectos metabólicos e possíveis efeitos ergogênicos da suplementação de L-arginina sobre o exercício físico.

Endereço: http://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/1122

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.