A Trilha Sonora dos Times das Gerais

Por: Elcio Cornelsen e Erilma Desiree da Silva Conceição.

O Futebol no Campo das Letras.

Send to Kindle


Resumo

A música vem embalando as partidas de futebol há décadas. Já é uma tradição no país a composição de hinos para agremiações. Em Minas, nos primórdios do futebol, os hinos possuíam um caráter marcial e eram carregados de expressões bélicas e de um jargão muito mais adequado ao estilo parnasiano. Bons exemplos dessa época são o hino oficial do Villa Nova, composto em 1916 por Luiz Lacerda, o hino do Palestra Itália (Cruzeiro), composto em 1922 por Arrigo Buzzacchi e Tolentino Miraglia, e o primeiro hino do Atlético, composto em 1928 por Augusto César e Djalma Andrade. Se fossem cantados em nossos dias, esses hinos representariam um verdadeiro desafio ao torcedor, a começar pela extensão da letra: o primeiro hino do Villa Nova possui 12 estrofes, superado pela letra do hino do Palestra Itália (Cruzeiro), com 14 estrofes. Além da dificuldade de decorar toda a letra, cantá-la a plenos pulmões seria um desafio e tanto para o torcedor, provavelmente, chegando à exaustão antes do final do primeiro tempo. Já a primeira composição do Atlético possui apenas 4 estrofes, mais adequado em termos de execução. 

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.