A Utilização dos Membros Superiores nos Saltos Verticais: Estudo Comparativo Entre Um Salto Sem Contra-movimento Sem a Utilização dos Membros Superiores e Um Salto Sem Contra-movimento com a Utilização dos Membros Superiores

Por: Francisco Gonçalves e Paulo Mourão.

Motricidade - v.4 - n.4 - 2008

Send to Kindle


Resumo

A acção motora “saltar” é um movimento desportivo fundamental e está presente em variadíssimas modalidades desportivas. Partindo do princípio que muito do sucesso desportivo assenta nesta acção, é de extrema importância, a optimização deste gesto para um melhor rendimento desportivo. Uma das formas de o fazer, é realizar um balanço com os membros superiores. O objectivo do nosso estudo, é a comparação entre a performance de um salto sem contramovimento sem balanço dos membros superiores e de um salto sem contramovimento com balanço dos membros superiores.

A amostra foi constituída por um indivíduo (altura=1.75; peso=75kg, idade=26anos) que realizou um salto sem contramovimento sem o balanço dos membros superiores e um salto sem contramovimento com balanço dos membros superiores na fase ascendente. A recolha, tratamento e análise de ambos os saltos foram feitos através de técnicas de cinemática.

Com base nos resultados obtidos, concluímos que, o balanço dos membros superiores na realização de um salto vertical, leva a um aumento da performance, aumentando a velocidade do centro de gravidade na saída do solo. Essa melhoria pode dever-se a vários factores, entre os quais se destaca a existência de mecanismos contra produtivos e a existência de mais tempo para realizar força, nos saltos com balanço dos membros superiores.

Endereço: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1646-107X2008000400004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.