A Vulnerabilidade no Esporte e a Exposição às Novas Mídias: Um Estudo Sobre o Twitter

Por: .

110 páginas. 2012 21/11/2012

Send to Kindle


Resumo

Esta tese é a convergência de análise de dois temas que carecem de estudos no contexto esportivo: a vulnerabilidade e as redes sociais. Como fator primário, a vulnerabilidade. Os estudos no esporte não se voltam para o debate e analise da vulnerabilidade no esporte, são pesquisados fatores que estão incluídos no conceito de vulnerabilidade, mas não se dá o tratamento específico a matéria, pois ser vulnerável não é bem-vindo no esporte de competição, demonstra fraquezas e, em muitos casos, pode trazer significativos prejuízos à imagem dos atletas, constantemente associada à superação e ao heroísmo. O segundo ponto da convergência está na alta utilização das redes sociais e do Twitter por atletas. Desta forma, a pesquisa tem como objetivo analisar a vulnerabilidade decorrente da repercussão do uso do Twitter no esporte de alto rendimento, adotando-se uma leitura crosscultural. Para tanto foram analisadas 20 reportagens publicadas na internet, em 4 idiomas - português, inglês, espanhol e francês -, sendo 5 para cada idioma, obtidas por meio do buscador Google, sem limite temporal. Adota-se a pesquisa qualitativa cross-cultural com a aplicação da análise de conteúdo em ambiente virtual. O conteúdo das reportagens foi categorizado e hierarquizado, resultando em 12 categorias: Papel das Redes Sociais (PRS), Inter-relações, Provocações e Confrontos, Exposição do Outro e Ofensas, Linguagem, Fakes e Piratas, Incentivo, Imagem e marca, Esclarecimento e Negação, Punições e Responsabilização, Restrição e, finalmente Orientação. As categorias PRS e Inter-relações são primárias e posicionam-se no topo da hierarquia, delas originam-se as demais categorias. Na Inter-relação centra-se o mote das redes sociais. Um segundo conjunto de categorias é composto por: Imagem e Marca, Provocações e Exposição, Exposição ao outro e Ofensas e Esclarecimento e Negação, esta última podendo ser resultante das três anteriores com impacto direto da Linguagem, do Incentivo e dos Fakes e Piratas. No caso da Imagem e Marca, o Twitter pode tanto auxiliar no desenvolvimento e valorização, como pode maculá-la, dependendo da qualidade das interações e das mensagens postadas. Esse bloco de categorias desencadeia um terceiro bloco composto pelas categorias Punições e Responsabilização, Orientação e Restrições. As dinâmicas detectadas e analisadas na tese dão conta de que há efetivamente pontos que conduzem os atletas à vulnerabilidade quando participam do Twitter, não havendo qualquer tipo de mitigação por serem atletas de alto nível, pelo contrário, ser uma pessoa famosa possibilita uma maior intensidade das interferências e repercussão. Tanto é fato que o terceiro bloco de categorias emerge para mitigar os possíveis danos, mas também tem o condão de sancionar penas às atitudes que as entidades gestoras do esporte entendem como prejudiciais ao negócio. Deve-se notar que as categorias não são estáticas, e nem poderíamos esperar isso em um ambiente tão fugaz. Com exceção das duas primeiras categorias que versam essencialmente sobre questões conceituais, todas as demais categorias interagem. De forma conclusiva, a hipótese aventada inicialmente foi comprovada na tese. Os atletas ou qualquer pessoa usuária do Twitter e das redes sociais está exposta e é vulnerável. 

Endereço: http://repositorio.unesp.br/handle/11449/99076

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.