Send to Kindle


O dilema de voltar a frequentar ou não uma academia durante a pandemia de COVID 19 é muito simples de resolver: simplesmente não!

Para o dono da academia, os treinadores e professores e funcionário, o dilema é mais sério: abrir ou não? A necessidade de manter o negócio viável, quando é uma empresa, choca-se com a responsabilidade social e a imensa preocupação de manter seus usuários saudáveis. Afinal, exercício é saúde, não é? Mas um só usuário que for contaminado na academia pode ter consequências extremamente desagradáveis. E essa probabilidade, infelizmente, é alta demais para ser tolerada. Portanto, o dilema se resolve nesse caso, também: enquanto as taxas de infecciosidade estiverem altas em sua cidade, a academia não deve abrir, nem mesmo com todas as precauções, como higienização super-frequente, distanciamento entre os frequentadores, uso de máscaras, etc.

Quais são os argumentos e a evidência a seu respeito?

  1. O exercício físico é acompanhado de suor, superfícies que ficam úmidas o tempo todo, em equipamentos compartilhados rapidamente entre os usuários, respiração bucal, acelerada e mais profunda de quem se exercita, instruções verbais e conversas em proximidade. Tudo isso aumenta a consideravelmente a excreção do coronavírus, cuja biologia de infecção é basicamente respiratória, com penetração pela garganta e nariz;
  2. A eficácia das máscaras que são trazidas pelos usuários é muito variável, e, portanto, duvidosa. Sem exercício físico, uma máscara fina ou de pano fica úmida rapidamente, e perde a eficácia, e isso acontece mais rapidamente com o exercício físico;
  3. Para os professores e treinadores, especialmente, o risco é muito elevado de contágio, pois embora os alunos sejam instados a ficar somente uma hora, os professores ficam expostos à carga viral dezenas de vezes mais. E, em seguida, se transformam em contaminadores dos próximos frequentadores;
  4. A maioria dos frequentadores de academia, bem como dos professores e treinadores, estão na faixa etária dos 20 aos 40 anos, justamente a que tem mais pessoas contaminadas e assintomáticas (50 a 60%), e as que, segundo declaração recente da OMS, estão entre as que mais contaminam, os chamados supercontaminadores, por não saberem que carregam o vírus, e por comportamentos de risco. Não se deve acreditar que jovens nessa faixa sejam imunes ou não terão doença grave: ao contrário, no Brasil essa faixa etária está sendo muito atingida, mais que em outros países;
  5. Existem fortes evidências com base científica que o coronavírus fica em suspensão no ar por muito tempo (horas, em certas condições), principalmente em locais fechados, úmidos e quentes. A não ser com o uso de irradiação ultravioleta constante (obviamente não indicada quando há pessoas presentes), nada consegue removê-los com segurança;
  6. O risco de recirculação do vírus aumenta com o uso de ventiladores e aparelhos de ar condicionado, muito comuns em todas as academias;
  7. No inverno a aglomeração humana nos interiores aumenta, o que, classicamente, aumenta a incidência de doenças virais e bacterianas respiratórias.

Em suma, na classificação de risco de ambientes da OMS, as academias de exercício físico estão entre as posições mais elevadas.

Espero que eu tenha deixado claro a minha forte recomendação de continuar a inatividade presencial das academias pelo tempo que a pandemia continuar assolando a população local. Quando reabrir? Eu gostaria de ter uma bola de cristal, mas acho que teria que ser quando a infecciosidade fosse muito menor do que de uma gripe viral, pois a doença tem consequências muito graves para cerca de 20% dos contaminados, e é 20 vezes mais letal que a gripe.

Referências

Pandemia é impulsionada por pessoas de 20 a 40 anos, diz OMS. Proporção de jovens entre os infectados em todo o mundo triplicou nos últimos cinco meses. 18/08/2020. URL: https://www.terra.com.br/noticias/coronavirus/pandemia-e-impulsionada-por-pessoas-de-20-a-40-anos-diz-oms,e5ebbaae3915c73ba532304000db0c99ptanigwc.html

Bernardes, J.: Presença comprovada do coronavírus no ar reforça necessidade da boa ventilação de ambientes. Jornal da USP, 13/08/2020. URL: https://jornal.usp.br/ciencias/presenca-do-coronavirus-no-ar-reforca-necessidade-da-boa-ventilacao-de-ambientes/

Ar condicionado auxilia na transmissão da COVID 19, diz estudo. Estadão Summit Saúde. O Estado de São Paulo, 22/05/2020. URL: https://summitsaude.estadao.com.br/ar-condicionado-auxilia-na-transmissao-da-covid-19-diz-estudo/

Reis, F.: USP avalia eficácia de máscaras e testa materiais para produção. PFarma. 08/04/2020. URL: https://pfarma.com.br/coronavirus/5400-producao-mascaras.html

Brito, C.: Em amostra, metade dos contaminados por Covid-19 não teve sintomas, diz Prefeitura do Rio. G1 Rio. URL:  https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2020/06/22/crivella-apresenta-os-primeiros-resultados-de-pesquisa-de-prevalencia-da-covid-19-nas-comunidades.ghtml

Por que é que as doenças respiratórias pioram no Inverno? Atlas da Saúde, 28/01/2020. URL: https://www.atlasdasaude.pt/publico/content/porque-e-que-doencas-respiratorias-pioram-no-inverno

Fernandes, M. - Covid-19 em academia: 112 pessoas são contaminadas em aulas de dança. Correio Braziliense, 18/05/2020. URL: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2020/05/18/interna_ciencia_saude,856192/covid-19-em-academia-112-pessoas-sao-contaminadas-em-aulas-de-danca.shtml

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.