Acidentes Oculares nas Atividades Esportivas

Por: Augusto Adam Netto, Igor Kunze Rodrigues, Mateus Astolfi, Roberta Neumaier e Ulysses Jorge de Aguiar.

Arquivos Catarinenses de Medicina - v.35 - n.1 - 2006

Send to Kindle


Resumo

Objetivo: Analisar 20 casos de pacientes vítimas de acidentes oftalmológicos na atividade esportiva, atendidos no ambulatório do Serviço de Oftalmologia do Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina (HU-UFSC). Métodos: Avaliou-se, retrospectivamente, o prontuário de 20 pacientes admitidos no Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina (HU-UFSC), no período de março de 2003 a março de 2004. Resultados: A maioria dos pacientes foi procedente de Florianópolis (65%), seguida da região metropolitana de Florianópolis (25%) e outras localidades (10%). As vítimas do sexo masculino representaram 85% da amostra. A distribuição quanto ao olho atingido foi de 60% para o olho esquerdo e 40% para o olho direito, não havendo nenhum caso de lesão ocular bilateral. O futebol foi a modalidade predominantemente praticada (50%), seguido do voleibol (10%). A bola foi o objeto causador do trauma em 60% dos casos, o dedo em 15% e o pé em 15%. A faixa etária mais acometida foi a de maiores de 18 anos, representando 65% da amostra. A profissão prevalente foi a de estudante (40%) seguida pela de advogado (10%). A principal complicação encontrada foi o hifema (23,3%), seguida pela irite traumática(16,6%) e hematoma/edema palpebral (13,3%). Conclusão: Apesar de o trauma ocular na atividade esportiva ser prevenível, ainda acontece com freqüência e gera consequências importantes

Endereço: http://www.acm.org.br/revista/scripts/resumo.php?CD_EDICAO=25&CD_ARTIGO=360

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.