ácido Láctico Como Indicativo de Aptidão Física em Ratos

Por: Cora Albrecht Correa, Elemara Frantz, Honório Sampaio Menezes, Julio Cezar Dors Coracini, Kellyn Cristine Kepler, Milena Pacheco Abegg e Silvia Letícia Merceo Bacchi Cirino.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.16 - n.3 - 2010

Send to Kindle


Resumo

INTRODUÇÃO: Os modelos experimentais são utilizados para simulações de situações relacionadas ao treinamento físico. 
OBJETIVO: O objetivo do presente estudo foi verificar a aptidão física de ratos em treinamento através da avaliação das concentrações de ácido láctico sérico. 
METODOLOGIA: Foi realizado estudo experimental utilizando 40 ratos machos Wistar, adultos, divididos em cinco grupos de oito indivíduos, havendo um grupo controle. Foi realizado o primeiro teste de esforço máximo (TE) após uma semana de familiarização com a esteira rolante e antes do primeiro dia de treinamento. Os testes de esforço seguintes foram feitos a cada 10 dias de treinamento. No final de cada teste de esforço foi coletado 1ml de sangue para medir o ácido láctico. O teste t de Student foi utilizado para comparação das médias. 
RESULTADOS: O ácido láctico sérico diminuiu significativamente entre o primeiro e o último teste de esforço máximo nos grupos GE10, 20 e 30. No G30 pode-se demonstrar diferença significativa entre os testes inicial e final no que se refere à velocidade (p = 0,003) e tempo (p = 0,018), assim como no G40 velocidade inicial (p = 0,0006) e tempo (p = 0,0001). 
CONCLUSÃO: Os resultados demonstraram que ratos submetidos a treinamento físico apresentam capacidade metabólica medida pelo ácido láctico, que demonstra aptidão física e treinamento adequado com aumento do esforço físico, sendo bem tolerado até 40 dias de treinamento em esteira rolante.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922010000300011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.