Ações Pioneiras no Processo de Escolarização da Educação Física no Rio Grande do Sul (1877-1929)

Por: e .

XV Congresso de História do Esporte, Lazer e Educação Física - CHELEF

Send to Kindle


Resumo

A formação de professores(as) primários no Rio Grande do Sul (RS) concentrou-se, inicialmente, na Escola Normal de Porto Alegre. A referida instituição foi estabelecida juntamente ao processo de instauração de uma nova conjuntura política, cujas aspirações conclamavam por mudanças sociais de toda ordem. A educação, por conseguinte, além de normalizar necessitava habilitar os docentes para a formação de cidadãos. Para tanto, os parâmetros anunciados sustentavam uma educação integral, onde os esforços pedagógicos recairiam sobre o equilíbrio da atenção dada ao corpo, à mente e ao espírito. Diante deste contexto, a Educação Física, compreendida na época como uma educação do corpo, passou a figurar no rol dos conteúdos eleitos ao ensino, sob a denominação de “Gymnastica, Esgrima e Exercicios Militares”, no ano de 1877. Nesta direção, o objetivo do estudo foi compreender como ocorreu o processo de escolarização da Educação Física no Rio Grande do Sul, desde a sua inserção enquanto disciplina no currículo da Escola Normal no ano de 1877, até a criação dos primeiros cursos voltados à formação especializada de professores(as) no estado, no ano de 1929. Para tanto, foram interpretados através da técnica de análise documental (BACELLAR, 2010), documentos oficiais, como leis, decretos, relatórios e correspondências. Tais materiais foram cotejados com informações obtidas na revisão bibliográfica. A interpretação dos materiais de pesquisa foi sustentada pelo referencial teórico-metodológico da “História das disciplinas escolares” (CHERVEL, 1990; GOODSON, 1990). Os documentos históricos revelaram a presença de ações pioneiras que balizaram o processo de escolarização da Educação Física no RS. Ademais, tais materiais de pesquisa colocaram em cena o professor Frederico Guilherme Gaelzer, na execução de medidas em diferentes frentes deste cenário. Assim, ainda que a obrigatoriedade do ensino da Educação Física não fosse vigente na época, devido à falta de professores(as) especializados(as), as ações demarcadas no presente estudo lançaram, de certa forma, um primeiro impulso para que a Educação Física fosse inserida nas escolas do estado. Diante do exposto, esta investigação se justifica por apresentar uma leitura acerca do processo de escolarização da Educação Física no RS.

Referências

BACELLAR, C. Fontes documentais: uso e mau uso dos arquivos. In: PINSKI, C. (Org.). Fontes históricas. 2ª Ed. São Paulo: Contexto, 2010, p. 23-80.

CHERVEL, A. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, n. 2, p. 177-229, 1990.

GOODSON, I. Tornando-se uma matéria acadêmica: padrões de explicação e evolução. Teoria e Educação, Porto Alegre, n. 2, 1990.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.